Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,95 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,70 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +2,70 (+2,55%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.038,92
    -256,14 (-1,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,83 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    +81,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0531 (+0,96%)
     

Entenda o que é inovação incremental

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Inovar é uma das obsessões de muitas empresas, mas acabou tornando-se também um clichê vago: afinal, de que inovação estamos falando aqui? Portanto, vamos abordar aqui o que talvez seja a mais usada pelas empresas para atualizar seus produtos e serviços: a inovação incremental.

O que é inovação incremental?

O economista e cientista político austríaco Joseph Schumpeter é considerado por muitos o criador do termo. Ele o usou no seu livro Business Cycles, de 1939, e definiu inovação incremental como aquela que promove pequenas melhorias ou atualizações em produtos, serviços, processos ou métodos existentes. Assim, não só melhora a qualidade do produto como amplia seu valor de mercado.

Já falamos no Canaltech da inovação disruptiva. O conceito consiste em uma tecnologia, produto ou serviço que transforma ou substitui as soluções já estabelecidas, tanto no uso popular quanto em termos de mercado. Seu surgimento e consequente adoção forçam as empresas concorrentes a se adaptarem de diversas formas. Por exemplo, oferecendo soluções semelhantes ou comprando a empresa que criou aquela inovação.

E ainda temos a inovação radical, que segundo o mesmo Joseph Schumpeter, busca novos mercados e oportunidades que outras empresas ainda não enxergaram. A disruptiva é um pouco mais ousada que a radical, porque ela altera radicalmente seu mercado e responde a demandas e dores que nem mesmo o público sabia que existiam.

Windows é considerado um bom exemplo de inovação incremental na tecnologia (Imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)
Windows é considerado um bom exemplo de inovação incremental na tecnologia (Imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

Exemplos de inovação incremental no mercado

Apple: a empresa inovou inúmeras vezes de forma incremental. Um bom exemplo é o iPhone. Apesar de não ter sido o primeiro smartphone já criado, sua primeira versão comercial mudou paradigmas com a tela sensível ao toque abolindo botões físicos. A cada ano, a empresa melhora o produto com recursos como o reconhecimento facial e as melhorias de câmera.

Microsoft: Embora o Windows tenha se "inspirado" de leve no Mac OS da Apple, é um fato que ele conseguiu ser o primeira interface operacional de computador acessível ao grande público, pois poderia rodar em computadores pessoais de diversas fabricantes. E continua sendo melhorado a cada versão, com novos atalhos, recursos e gráficos.

Gmail: Quando surgiu em 2004, já havia na internet diversos serviços de e-mail gratuito. Mas o Gmail inovou ao permitir 1 GB de capacidade de caixa de entrada por pessoa, o que era muito mais do que a concorrência oferecia. Hoje ele permite bate-papo, visualização de arquivos do pacote Office e até predição de texto.

Uber: A empresa não inventou o negócio do motorista particular, mas o incrementou ao criar uma plataforma que agregasse todos eles e oferecendo o serviço de forma centralizado para uma base maior de clientes, e a preços atraentes.

Uber é considerado um exemplo de inovação incremental (Imagem: Reprodução/charlesdeluvio/Unsplash)
Uber é considerado um exemplo de inovação incremental (Imagem: Reprodução/charlesdeluvio/Unsplash)

Quais são as vantagens da inovação incremental?

Mais rápida e barata: na comparação com outros tipos de inovação (radical e disruptiva), estas últimas requerem mais tempo e dinheiro em seu desenvolvimento;

Mais maleável: é suscetível a adaptações ao longo do processo, permitindo ajustes de curso;

Ganho de eficiência: aplicada sabiamente, consegue obter mais resultados com os recursos disponiveis.

Baixo risco: como melhora algo que já existe e foi devidamente testado no mercado, apresentando seus devidos prós e contras, é um terreno menos pantanoso do que criar algo inovador totalmente do zero.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos