Mercado fechará em 5 h 40 min
  • BOVESPA

    108.460,71
    +447,24 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.823,23
    -408,97 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,34
    -0,62 (-0,71%)
     
  • OURO

    1.840,30
    -2,90 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    42.055,71
    -204,85 (-0,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    998,74
    +3,99 (+0,40%)
     
  • S&P500

    4.532,76
    -44,35 (-0,97%)
     
  • DOW JONES

    35.028,65
    -339,82 (-0,96%)
     
  • FTSE

    7.578,26
    -11,40 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    24.952,35
    +824,50 (+3,42%)
     
  • NIKKEI

    27.772,93
    +305,70 (+1,11%)
     
  • NASDAQ

    15.151,25
    +117,75 (+0,78%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1576
    -0,0098 (-0,16%)
     

Ensino a distância conquista adeptos e aumenta após fim de restrições

·4 min de leitura

O anúncio da pandemia de covid-19 em março de 2020 trouxe diversas transformações sociais. Com as restrições de locomoção e de contato social, setores indispensáveis tiveram que passar por adaptações. Uma das mais significativas ocorreu na educação, que passou a adotar o modelo de ensino a distância (EAD) em praticamente todas as modalidades de educação - desde treinamentos básicos a mestrados e doutorados.

Apesar de apresentarem, em média, desempenho pior do que os cursos presenciais, os cursos a distância trazem opções de ensino viáveis para alunos que necessitam trabalhar e estudar ao mesmo tempo e para pessoas que necessitam compartimentar ou flexibilizar os horários de estudo.

“A EAD se encaixa perfeitamente como solução para a realidade atual devido a sua flexibilidade, aos diversos meios de transmissão de conteúdo (vídeos, textos, aplicativos, jogos), aos canais de comunicação existentes, além de beneficiar os diferentes tipos de aprendizagens”, ressaltou a Fábia Kátia Moreira, consultora de EAD e tecnologia internacional que atua na área há mais de 25 anos.

Para a consultora, “diante da pandemia da covid-19, mesmo as instituições mais tradicionais e resistentes à EAD estão lançando mão dessa modalidade, senão para oferecer novas possibilidades de aprendizagem aos estudantes, ao menos para garantir o cumprimento dos duzentos dias letivos exigidos em lei”.

De acordo com o diretor da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed) George Bento Catunda, não é possível comparar o ensino remoto que ocorreu na pandemia, quando todos os cursos regulares presenciais tiveram que se adaptar, com um curso que foi estruturado para ser remoto desde a concepção. “O ensino remoto na pandemia foi uma ação emergencial, feita por professores super comprometidos, mas sem a estrutura, os recursos e o planejamento da modalidade EAD. Ou seja, o ensino remoto utilizado na pandemia não é a mesma coisa que Educação a Distância”, diz.

Qualidade de vida

Para Catunda, o ensino EAD tem como principal vantagem que o aluno faz seu horário e escolhe o local ideal para seus estudos. “É possível se programar para cumprir tudo e manter os estudos articulados com sua rotina e ritmo de vida. Além disso, há o desenvolvimento de novas habilidades, como autogestão e habilidades tecnológicas”, conta o diretor.

Conforme Catunda, as desvantagens são a falta de contato presencial e constante com professores e colegas, o que faz com que muitos estudantes não consigam avançar como poderiam e acabem desistindo dos cursos.

De acordo com a psicóloga e estudante de pós-graduação em Gestão de Pessoas Jaqueline Oliveira, o EAD oferece aumento em qualidade de vida, já que elimina a necessidade de deslocamento. “Me ajudou muito pela questão de flexibilidade de horários. Tenho uma vida muito corrida e moro em uma área que faz com que eu precise ficar em transporte público por, no mínimo, 1h30 antes de chegar na instituição de ensino. Ganhei qualidade de vida e me adaptei à didática. Acredito que não quero mais fazer ensino presencial”, afirmou.

Um levantamento feito pela Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed) mostra que tanto a procura quanto a oferta por cursos EAD tiveram aumento substancial entre 2020 e 2021, e que, apesar da situação criada pela pandemia, o mercado tende a se consolidar mesmo após o término das restrições sanitárias.

As características do EAD, entretanto, também trazem dificuldades. Entre elas, o aumento da inadimplência e da evasão escolar. Os dados coletados pela Abed mostram que para 21,6% dos cursos EAD oferecidos a inadimplência cresceu em até 50%. A evasão escolar também é maior via EAD - para 27,5% dos cursos analisados a evasão aumentou em até 50%.

Dos alunos entrevistados e que estão inadimplentes, 70% responsabilizaram a crise econômica criada pela pandemia como razão para suspender os pagamentos de mensalidades, enquanto 47,1% afirmaram ter dificuldades de adaptação ao ensino remoto emergencial.

Dia Nacional do EAD

Instituído em 2003 pela Associação Brasileira de Ensino a Distância (Abed), o dia 27 de novembro marca a celebração do ensino a distância como ferramenta de educação e democratização do conhecimento.

Para discutir temas relevantes sobre o assunto, como metodologias, perfis educacionais e desafios do mercado de EAD, a Abed preparou um calendário de palestras online gratuitas para o público - tanto alunos quanto educadores.

A programação completa pode ser conferida aqui.

matéria atualizada às 17h05 do dia 29/11 para acréscimo de informação

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos