Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.389,85
    +66,44 (+0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Engie Brasil quer ser mais competitiva em leilão de transmissão de energia

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Logo da Engie fotografado em Paris, França
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO (Reuters) - A Engie Brasil Energia deve participar do leilão de transmissão de junho e está reforçando suas equipes para ser "bem mais competitiva" nas próximas disputas desse segmento, disse nesta sexta-feira o diretor financeiro da elétrica, Marcelo Malta.

"Muito provavelmente iremos participar... A gente sabe que não temos conseguido ser competitivos, os últimos leilões saíram com níveis de preço bem abaixo do que esperamos para viabilizar um projeto dessa natureza... Estamos fazendo todo o dever de casa para tentar ser bem mais competitivos", afirmou, em teleconferência de resultados.

Segundo Malta, a concorrência pode ser mais restrita nos próximos dois certames de transmissão devido ao maior porte dos projetos que serão oferecidos ao mercado.

O diretor disse ainda que a companhia tem visto mais oportunidades de negócio para a transportadora de gás TAG. Ele observou que a abertura do mercado de gás ainda está em processo de maturação, mas apontou que "alguns movimentos" trazem "algum otimismo" para a companhia.

"Já percebemos interesse pela utilização do gasoduto em oportunidade de expansão", disse, citando contratos fechados em Sergipe e Ceará.

Já em geração de energia renovável, a Engie Brasil acabou de aprovar em conselho a aquisição de um projeto eólico na Bahia e ainda vai decidir sobre o início de sua implantação. Caso seja aprovado, o novo empreendimento deve elevar o nível de investimentos, disse Malta.

O recém-adquirido projeto eólico Serra do Assuruá tem potencial para atingir 880 MW de capacidade instalada.

"Se for aprovado, vamos fazer uma captação (de recursos), mas mesmo com a implantação de Assuruá, acreditamos que vamos continuar com situação bem confortável em termos de endividamento", disse Malta, acrescentando que ainda assim a companhia pode eventualmente manter "níveis elevados" de distribuição de dividendos.

OPORTUNIDADES EM HIDROGÊNIO

A companhia também tem estudado oportunidades de parcerias em hidrogênio verde.

"O governo alemão está para lançar um edital para compra de hidrogênio verde, com recursos incentivados, então um dos projetos que estamos discutindo e conversando pode estar relacionado a essa expectativa", apontou o diretor financeiro.

A Engie Brasil anunciou em outubro do ano passado um memorando de entendimentos com o governo do Ceará para desenvolver um projeto de hidrogênio verde de grande escala no porto de Pecém.

Conforme o divulgado na época, o objetivo é produzir hidrogênio verde para exportação, mas a companhia também avaliaria o uso em mobilidade pesada, na indústria do aço e produção de químicos.

(Por Letícia Fucuchima)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos