Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,10 (+0,14%)
     
  • OURO

    1.802,10
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    34.540,88
    +443,87 (+1,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,82 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    -6,75 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1215
    +0,0013 (+0,02%)
     

Enfermeiro da USP desenvolve app para auxiliar idosos em emergências

·2 minuto de leitura
Enfermeiro da USP desenvolve app para auxiliar idosos em emergências
Enfermeiro da USP desenvolve app para auxiliar idosos em emergências

O enfermeiro Diego Montandon, da USP de Ribeirão Preto, desenvolveu um app para ajudar idosos e pessoas com deficiência a serem efetivamente amparadas em situações de emergência. Chamada de e-SU, abreviatura de Plataforma Eletrônica de Socorro nas Urgências, a ferramenta visa auxiliar principalmente aqueles, dentro desses grupos, que moram sozinhos.

O número, aliás, tanto de idosos e de pessoas com deficiência quanto destes que vivem sozinhos, não é irrelevante. De acordo com o IBGE, cerca de 12,5 milhões de brasileiros possuem algum tipo de deficiência, seja ela visual, auditiva, motora ou intelectual, enquanto a população idosa chegou a 30 milhões de pessoas em 2017 — número que deve estar ligeiramente maior nos dias de hoje. E a quantidade de idosos que moram sozinhos é também significativa, somando 4,2 milhões de pessoas.

A partir disso, a motivação por trás do desenvolvimento do app foram as experiências do enfermeiro da USP no atendimento desses grupos. Muitas vezes, relata o enfermeiro da USP, era notável a ausência de autonomia dos pacientes no acionamento dos serviços de emergência e socorro. Depois disso, em sua pesquisa de mestrado, foi percebido também como isso dificultava um atendimento bem-sucedido, já que muitas vezes a comunicação não se realizava da melhor forma possível.

Como funciona o e-SU?

O e-SU surge, então, no projeto de doutorado de Diego Montandon como uma tentativa de resolver esses problemas. O que ele faz, basicamente, é traçar um perfil do usuário para facilitar sua comunicação com o SAMU. O usuário pode, além disso, enviar sua localização, fotos, vídeos e mensagens de texto para o serviço de socorro, justamente para que o atendimento seja o melhor possível.

Captura de tela do protótipo do app e-SU, que visa auxiliar idosos e pessoas com deficiência a entrar em contato com serviços de socorro
Captura de tela do protótipo do app e-SU, que visa auxiliar idosos e pessoas com deficiência a entrar em contato com serviços de socorro

Reprodução/Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto

Ainda em relação ao funcionamento do app, o enfermeiro da USP afirma que a plataforma se adapta às necessidades específicas do idoso e da pessoa com deficiência em situação de emergência. Embora o e-SU tenha acesso, na instalação, a informações relevantes para a teletriagem — como idade, localização, se a pessoa mora sozinha e se possui deficiência auditiva ou visual —, é possível preencher manualmente toda espécie de informação que possa ajudar no atendimento emergencial.

Infelizmente, entretanto, o app ainda não foi lançado. Apesar disso, e após ser aprovado tanto por peritos da área de desenvolvimento de software quanto pelo próprio público-alvo, o e-SU encontra-se atualmente em fase de registro na Agência USP de Inovação. Depois disso, o app continuará em testes para que a versão final seja desenvolvida e finalmente lançada.

Via Jornal da USP

Imagem: filadendron/iStock

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos