Mercado fechará em 2 h 47 min
  • BOVESPA

    108.391,46
    +1.723,80 (+1,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.851,42
    -380,78 (-0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,12
    +1,69 (+1,98%)
     
  • OURO

    1.839,40
    +27,00 (+1,49%)
     
  • BTC-USD

    41.901,92
    +330,94 (+0,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    995,79
    +1,04 (+0,10%)
     
  • S&P500

    4.569,77
    -7,34 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    35.298,15
    -70,32 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.586,12
    +22,57 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    24.127,85
    +15,07 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    27.467,23
    -790,02 (-2,80%)
     
  • NASDAQ

    15.201,50
    -4,50 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2060
    -0,1011 (-1,60%)
     

Energisa investe na produção de religadores e mira venda a outras distribuidoras

·2 min de leitura
Linhas de transmissão de energia elétrica

SÃO PAULO (Reuters) - A Energisa inaugurou recentemente uma fábrica para a produção de religadores, em uma iniciativa que amplia seus investimentos em inovação e diversifica seu portfólio de produtos e serviços, disse o grupo elétrico em um comunicado.

Desenvolvidos no âmbito de um projeto de pesquisa e desenvolvimento (P&D), os equipamentos já estão sendo usados em distribuidoras da Energisa e foram comercializados para outras concessionárias com atuação nos mercados brasileiro e estrangeiro.

Os religadores servem para proteger a rede elétrica, isolando trechos onde houve falta de energia de outros pontos da rede até que o problema seja resolvido.

Até momento, foram comercializados mais de 500 religadores no Brasil e exterior, com projeção de dobrar o volume de vendas no próximo ano, disse a companhia.

O modelo é "totalmente diferenciado do que já existe no mercado" e pode proporcionar uma redução considerável dos custos de manutenção, segundo a Energisa.

A unidade para produção de religadores monofásicos fica em Atibaia (SP) e foi erguida em parceria com a HartBR, empresa desenvolvedora do equipamento e responsável pela fabricação e comercialização. A planta tem capacidade para produzir até 250 religadores por mês e, em 2022, o grupo pretende dobrar a linha de montagem para atender o mercado nacional e internacional.

Os religadores desenvolvidos pelo grupo estão sendo utilizados em distribuidoras da Energisa em Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Sergipe e Acre.

A companhia também firmou contratos para vendê-los a empresas da Colômbia, México, Costa Rica, Portugal, Espanha, Reino Unido, Moçambique e Angola. Há ainda uma parceria firmada com a Hubbell para distribuição dos produtos em território norte-americano e também no Canadá.

Entre os diferenciais do equipamento, a companhia menciona a possibilidade de operação remota por meio de um rádio embarcado no próprio equipamento, sem a necessidade de utilizar nenhum componente adicional instalado no poste.

Além disso, o religador armazena energia em super capacitores, dispensando as substituições periódicas realizadas em produtos que usam baterias.

A equipamento promete melhoria dos indicadores de continuidade do serviço na faixa de 60% a 70% nos pontos onde é instalado.

(De Letícia Fucuchima)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos