Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.005,22
    +758,07 (+0,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.289,91
    +895,88 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,03
    -1,18 (-1,05%)
     
  • OURO

    1.837,60
    -3,60 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    30.290,27
    +1.316,77 (+4,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    673,92
    +21,69 (+3,33%)
     
  • S&P500

    3.900,79
    -22,89 (-0,58%)
     
  • DOW JONES

    31.253,13
    -236,94 (-0,75%)
     
  • FTSE

    7.302,74
    -135,35 (-1,82%)
     
  • HANG SENG

    20.120,68
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    26.469,71
    +66,87 (+0,25%)
     
  • NASDAQ

    11.960,50
    +82,25 (+0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1733
    -0,0455 (-0,87%)
     

Energia elétrica aumentou 137% a mais que a inflação entre 2015 e 2021

·2 min de leitura
Energia Elétrica aumentou 137% a mais que a inflação entre 2015 e 2021
Energia Elétrica aumentou 137% a mais que a inflação entre 2015 e 2021
  • Entre 2015 e 2021 a tarifa residencial de energia elétrica teve alta de 114%;

  • O percentual representa mais que o dobro do aumento da inflação (48%);

  • No Mercado Livre de Energia Elétrica os preços oscilaram 25% abaixo da inflação.

Entre 2015 e 2021, a tarifa residencial de energia elétrica teve alta de 114%. O percentual representa mais que o dobro do aumento da inflação (48%), acumulada no mesmo período. O salário mínimo, por sua vez, cresceu apenas 53,08%.

De acordo com dados da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), a conta de luz do brasileiro teve aumento de 137% a mais que a inflação nos últimos 7 anos. O salário mínimo cresceu apenas 53,08%, com isso inflação tarifária de energia elétrica no período teve impacto de 10,65% da variação do IPCA.

Já para os consumidores inseridos no Mercado Livre de Energia Elétrica os preços oscilaram 25% abaixo da inflação entre 2015 e 2021. Isso porque nessa modalidade de cobrança os clientes podem negociar de forma livre os contratos juntamente às distribuidoras de energia, obtendo vantagens e descontos no valor das tarifas. Apenas consumidores que possuem consumo acima dos 500 KW.

Para Alexandre Lopes, vice-presidente de energia da Abraceel, o consumidor pode esperar mais aumentos acima da inflação para os próximos anos: “Esse levantamento mostra como o consumidor cativo teve seus custos aumentados nos últimos anos e como a abertura do mercado livre a todos os consumidores poderia impactar de forma positiva a economia. A expectativa para os próximos anos não é diferente, pois ainda temos custos de 2021 que não foram repassados para as tarifas e provavelmente teremos outro aumento acima da inflação em 2022. Quando esse novo empréstimo ao setor elétrico começar a ser pago, impactará ainda mais as tarifas, o que significa que ainda vamos pagar por esse custo nos próximos anos. É urgente darmos liberdade de escolha ao consumidor".

Mercado livre de Energia Elétrica acumulou 5.500 novos consumidores em 2021

O número de consumidores do mercado livre de energia elétrica cresceu quase 250% nos últimos 5 anos. Só no ano passado 5.563 novos consumidores aderiram ao mercado, de acordo com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos