Mercado fechará em 3 h 55 min
  • BOVESPA

    117.044,40
    +814,28 (+0,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.725,42
    -321,16 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,71
    +1,19 (+1,38%)
     
  • OURO

    1.716,30
    -14,20 (-0,82%)
     
  • BTC-USD

    19.990,49
    -104,65 (-0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    452,46
    -5,94 (-1,30%)
     
  • S&P500

    3.741,00
    -49,93 (-1,32%)
     
  • DOW JONES

    30.003,51
    -312,81 (-1,03%)
     
  • FTSE

    7.052,62
    -33,84 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.450,50
    -190,25 (-1,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1461
    -0,0218 (-0,42%)
     

Energia e combustível ocupam o segundo lugar dos gastos dos brasileiros

Gastos com energia preocupam os brasileiros (Getty Image)
Gastos com energia preocupam os brasileiros (Getty Image)
  • Pesquisa mostrou que despesas pesam no orçamento

  • Luz e combustível perde apenas para o gasto com alimentação

  • 47% dos entrevistados apontam que o preço da conta é ruim ou péssimo

Não está fácil manter a conta de luz em dia. Abastecer o carro também é uma preocupação. Juntas, essas duas contas ocupam o segundo lugar nos gastos dos brasileiros.

Uma pesquisa inédita da Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia (Abrace) com o instituto Ipespe, aponta que os dois gastos perdem apenas para alimentação. O levantamento ouviu 2.000 entrevistados entre os dias 22 de junho e 10 de julho deste ano.

No levantamento, 94% dos entrevistados dizem que os preços dos produtos do setor energético estão impactando mais o orçamento da casa neste início de semestre do que no começo do ano. Para nove em cada dez entrevistados pelo estudo, a fatura de energia está pesando mais nas contas agora do que há 5 anos.

Dos ouvidos, 47% apontam que o preço da conta é ruim ou péssimo. Para piorar, 60% dos consumidores alegaram desconhecer o que está sendo cobrado na conta, mesmo que saibam que impostos e encargos façam parte da composição dos valores.

Quem apontou que a energia está muito cara afirma que o principal motivo são os impostos, encargos e taxas embutidos. Outros possíveis fatores apontados são falta de gerenciamento dos reservatórios de água e o domínio do setor por poucas empresas.

A pesquisa apontou que, apesar das medidas realizadas em ano eleitoral pelo atual presidente, 66% das pessoas acreditam que as opiniões e necessidades da população com relação à energia elétrica não são levadas em consideração nas decisões sobre o setor.