Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.471,92
    +579,92 (+0,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.723,43
    -192,77 (-0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,82
    -0,19 (-0,21%)
     
  • OURO

    1.790,20
    -1,00 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    23.253,45
    +300,14 (+1,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    540,86
    +5,63 (+1,05%)
     
  • S&P500

    4.145,19
    -6,75 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    32.803,47
    +76,67 (+0,23%)
     
  • FTSE

    7.439,74
    -8,32 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.004,01
    -197,93 (-0,98%)
     
  • NIKKEI

    28.208,40
    +32,53 (+0,12%)
     
  • NASDAQ

    13.195,75
    -33,00 (-0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2555
    -0,0111 (-0,21%)
     

Endividamento das famílias bate recorde em março

·2 min de leitura
Endividamento das famílias brasileiras bateu um novo recorde neste mês
Endividamento das famílias brasileiras bateu um novo recorde neste mês
  • Taxa de inadimplência também está em alta;

  • Cartão de crédito é o principal causador das dívidas;

  • Pesquisa foi realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

O número de famílias endividadas atingiu um marco recorde na história do país neste mês de março, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Com 77,5%, essa é a maior taxa em 12 anos, desde quando a pesquisa começou a ser feita, em 2010.

No ano passado a taxa já havia batido o recorde, com 70,9% no final de 2021. Em março a taxa era de 67,3%, o que significa um aumento de 10,3% em um ano. Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), um dos maiores causadores das dívidas é o cartão de crédito, respondendo por 87% dos endividamentos no país.

Em sequência aparecem os carnês (18,7%), financiamento de carro (11,2%), crédito pessoal (9,4%) e financiamento de casa (8,6%). As taxas não somam 100% pois um consumidor pode apresentar mais de um tipo de dívida.

Taxa de inadimplência também está em alta

Enquanto ter dívidas não representa necessariamente um problema nas finanças pessoais, a taxa de inadimplência no Brasil também está em alta. Ou seja, quem tem dívidas não está conseguindo pagá-las.

De acordo com a pesquisa da Peic, o percentual de consumidores com contas ou dívidas atrasadas registrou 27,8% em março, o segundo maior número nos 12 anos de histórico, ficando atrás apenas de janeiro de 2010, quando a taxa bateu 29,1%. Em comparação, em março de 2021 a taxa era de 24,4%.

A pesquisa da CNC aponta a mesma tendência que a realizada por outros grupos, como o Serasa através do Mapa da Inadimplência e Renegociação de Dívidas no Brasil. Para aliviar o bolso dos consumidores, o Serasa realizou um feirão de renegociação de dívidas especial neste mês. Tradicionalmente realizado no final do ano, o Feirão Serasa Limpa Nome permite o pagamento de dívidas com descontos e condições especiais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos