Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.631,55
    +900,61 (+2,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Encomendas industriais alemãs caem inesperadamente em maio

·1 minuto de leitura
Fábrica da Daimler Rastatt, Alemanha

BERLIM (Reuters) - As encomendas de produtos fabricados na Alemanha registraram em maio sua queda mais acentuada desde o primeiro lockdown em 2020, mostraram dados nesta terça-feira, prejudicadas pela demanda mais fraca de países fora da zona do euro e menos contratos para maquinário e bens intermediários.

Dados publicados pela Agência Federal de Estatísticas do país mostraram que as encomendas de bens industriais caíram 3,7% no mês em termos ajustados sazonalmente, marcando a primeira queda no volume de novos negócios neste ano.

A expectativa em pesquisa da Reuters era de um crescimento de 1%, após aumento revisado para cima de 1,2% em abril.

Uma análise dos dados mostrou que a demanda externa caiu 6,7%, com as encomendas de fora da zona do euro caindo 9,3%, enquanto a demanda interna cresceu 0,9%.

A demanda por bens de capita, como maquinário e veículos, recuou 4,6%, enquanto as encomendas de bens intermediários contraíram 3,6%, mostraram os dados. Os pedidos de bens ao consumidor aumentaram.

A economia alemã contraiu 1,8% no primeiro trimestre, uma vez que as restrições de lockdown, em vigor desde novembro, afetaram os gastos das famílias e a escassez de matéria-prima gerou gargalos na produção.

Espera-se que o relaxamento das restrições nos três meses até o final de junho tenha alimentado uma recuperação, e para o verão do hemisfério norte economistas preveem um crescimento, apesar dos gargalos de oferta estarem prejudicando a produção de muitas empresas industriais.

(Por Caroline Copley)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos