Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    59.857,01
    +1.436,89 (+2,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Encomendas à indústria nos EUA recuam em fevereiro

·1 minuto de leitura
Linha de produção de motores para aeronaves em fábrica da General Electric (GE) em Lafayette, Indiana, EUA

WASHINGTON (Reuters) - As novas encomendas de produtos fabricados nos Estados Unidos recuaram em fevereiro, provavelmente pressionadas pelo clima frio atípico, embora a manufatura permaneça forte conforme a recuperação econômica retoma a força em meio à melhora da situação sanitária e do forte estímulo fiscal.

O Departamento do Comércio disse nesta segunda-feira que as encomendas à indústria recuaram 0,8% após salto de 2,7% em janeiro. Economistas consultados pela Reuters previam queda de 0,5% em fevereiro. Na comparação anual, as encomendas subiram 1,0%.

O clima rigoroso afetou grandes partes do país, incluindo tempestades de inverno no Texas e em outras partes do Sul, na segunda metade de fevereiro, prejudicando os gastos dos consumidores, a produção nas fábricas, a construção de moradias e as vendas.

Mas isso já ficou para trás. O Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) disse na semana passada que seu índice para a atividade industrial nacional saltou em março para o nível mais alto desde dezembro de 1983.

A manufatura, que responde por 11,9% da economia dos EUA, tem sido impulsionada por um deslocamento da demanda durante a pandemia de serviços para bens.

(Reportagem de Lucia Mutikani)