Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.320,46
    -1.748,09 (-1,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.073,50
    +347,54 (+0,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,40
    -0,61 (-0,85%)
     
  • OURO

    1.800,40
    +2,40 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    17.209,51
    +381,01 (+2,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    405,62
    +10,93 (+2,77%)
     
  • S&P500

    3.954,56
    +20,64 (+0,52%)
     
  • DOW JONES

    33.693,83
    +95,91 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.472,17
    -17,02 (-0,23%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.643,50
    +134,00 (+1,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5079
    +0,0415 (+0,76%)
     

Encomendas à indústria dos EUA ficam inalteradas em agosto com queda em aeronaves

Fábrica da Gent Machine Co. em Cleveland, EUA

WASHINGTON (Reuters) - As novas encomendas de produtos fabricados nos Estados Unidos ficaram inalteradas em agosto em meio à queda na demanda por equipamentos de transporte, mas ganhos sólidos em outros produtos indicam força na manufatura.

O Departamento de Comércio disse nesta terça-feira que a leitura estável das encomendas em agosto seguiu-se a um declínio de 1,0% em julho. O resultado ficou em linha com as expectativas dos economistas. Os pedidos aumentaram 13,2% em relação ao ano anterior em agosto.

O relatório foi divulgado na esteira de uma pesquisa do Instituto de Gestão de Fornecimento na segunda-feira que mostrou que seu indicador de atividade manufatureira caiu para o nível mais baixo em quase dois anos e meio em setembro, com contração das medidas de novos pedidos e empregos.

A demanda por bens está desacelerando em meio às taxas de juros mais altas e à rotação dos gastos de volta aos serviços. Dados do governo na sexta-feira passada mostraram que os gastos com bens duráveis mal aumentaram em agosto, enquanto os gastos com serviços cresceram.

As encomendas à indústria em agosto foram pressionadas pela queda de 1,1% nas encomendas de equipamentos de transporte, o que refletiu um recuo de 18,5% nos pedidos de aeronaves civis. As encomendas de veículos motorizados caíram 0,2%.

Mas as encomendas de computadores e produtos eletrônicos aumentaram 0,7%. As encomendas de equipamentos, eletrodomésticos e componentes elétricos subiram 1,6%.

(Reportagem de Lucia Mutikani)