Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.962,61
    +5,26 (+0,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Encomendas à indústria dos EUA têm leve alta em setembro

Fábrica da Gent Machine Co. em Cleveland, EUA

WASHINGTON (Reuters) - As novas encomendas de produtos fabricados nos Estados aumentaram moderadamente em setembro, uma vez que a alta nos pedidos de aeronaves civis foi parcialmente compensada por quedas em outros setores, sugerindo perda de dinamismo em meio ao rápido aumento dos custos de empréstimos.

O Departamento de Comércio informou nesta quinta-feira que os pedidos às fábricas subiram 0,3%, após alta de 0,2% em agosto.

O aumento de setembro ficou em linha com as expectativas de economistas. As encomendas avançaram 13,0% na comparação anual em setembro. A demanda por bens também está diminuindo à medida que os gastos voltam para serviços.

Na quarta-feira, o Federal Reserve elevou sua taxa básica de juros em mais 0,75 ponto percentual, para uma faixa de 3,75% a 4,00%, mas sinalizou que aumentos futuros podem ser feitos em graus menores para levar em consideração o "aperto acumulado dos juros" até agora.

O aumento das encomendas à indústria em setembro refletiu em grande parte avanço de 2,2% nos pedidos de equipamentos de transporte, após alta 0,5% em agosto. As encomendas de equipamentos de transporte foram impulsionadas por uma recuperação de 21,9% em aeronaves civis. As encomendas de veículos automotores caíram 0,1%.

As encomendas de computadores e produtos eletrônicos caíram 0,4%, e as de equipamentos, eletrodomésticos e componentes elétricos caíram 1,2%. As encomendas de máquinas caíram, assim como as de produtos de metal primário.

(Reportagem de Lucia Mutikani)