Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.132,53
    +346,23 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.200,59
    -535,89 (-1,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,86
    +0,95 (+2,12%)
     
  • OURO

    1.806,10
    +1,50 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    18.857,21
    -183,62 (-0,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    371,76
    +1,24 (+0,34%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.391,09
    -41,08 (-0,64%)
     
  • HANG SENG

    26.669,75
    +81,55 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    26.296,86
    +131,27 (+0,50%)
     
  • NASDAQ

    12.168,75
    +92,75 (+0,77%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3421
    -0,0548 (-0,86%)
     

EMUI 11 pode ser a última versão do software antes da Huawei abandonar o Android

Rubens Eishima
·2 minuto de leitura

Impedida de usar os serviços proprietários do Google em seus celulares, a Huawei caminha cada vez mais para a adoção de seu próprio sistema operacional Harmony. Segundo um executivo da fabricante chinesa, parte da estrutura do novo SO para smartphones já está em uso na personalização EMUI, e a integração entre os sistemas pode resultar no não lançamento de uma possível EMUI 12.

Para recapitular, a EMUI é o pacote de personalizações usado pela Huawei sobre a base de código-aberto do Android, semelhante à Xiaomi MIUI ou à Samsung One UI. Com a proibição de uso dos serviços do Google, a EMUI ganhou mais recursos, integrando algumas alternativas da marca chinesa aos apps da gigante das buscas.

Wang Chenglu, presidente do departamento de software da Huawei, revelou em entrevista que a EMUI 11 já compartilha parte das estruturas criadas para o sistema caseiro da fabricante. O site MyDrivers chegou a comparar a personalização a uma prévia do Harmony OS, abrindo a possibilidade para que não exista uma EMUI 12.

Wang Chenglu lidera a equipe responsável pelo desenvolvimento de softwares da Huawei (Imagem: reprodução/Huawei)
Wang Chenglu lidera a equipe responsável pelo desenvolvimento de softwares da Huawei (Imagem: reprodução/Huawei)

Uma migração com base na EMUI poderia facilitar a transição não apenas dos desenvolvedores de apps, como também dos usuários, que não precisariam se adaptar a um sistema totalmente inédito. A migração da experiência de uso do Android para outro SO já foi tentada por exemplo pela Samsung com seus sistemas Bada e Tizen no passado, que contavam com uma interface semelhante à TouchWiz usada pela fabricante sul-coreana.

No caso da EMUI 11, o compartilhamento de tecnologias com o Harmony OS é tamanho que os celulares com a skin devem ser os primeiros a receber o novo sistema. O cronograma de desenvolvimento do sistema operacional da Huawei prevê que o Harmony OS estará pronto para uso em celulares já em 2021.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: