Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.379,78
    +84,61 (+0,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Empresas não compartilham visão otimista do Fed sobre inflação

·3 min de leitura

(Bloomberg) -- O Federal Reserve pode estar minimizando o risco de uma inflação persistente, mas os que provavelmente têm uma visão privilegiada - as próprias empresas - são menos otimistas sobre o aumento dos preços.

Na semana passada, Conagra Brands e PepsiCo sinalizaram que os custos mais altos dos insumos não devem ser temporários. A expectativa dessas empresas é que diversos itens, incluindo mão de obra, permaneçam significativamente mais caros nos próximos meses.

“Não vou assumir que será transitória”, disse o diretor financeiro da PepsiCo, Hugh Johnston, sobre a pressão inflacionária em entrevista à Bloomberg TV em 13 de julho. “Vai estar conosco durante a maior parte do próximo ano.”

Se essas previsões forem precisas, investidores de renda variável terão que levar em conta um ambiente inflacionário sustentado. O mercado tem sido complacente até agora, o que contribuiu para um rali das ações de tecnologia e de outros grupos com valores mais altos que apresentam bom desempenho quando os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA caem. Mas isso pode mudar rapidamente se a inflação continuar elevada e os rendimentos subirem, de acordo com Michael Darda, economista-chefe e estrategista de mercado da MKM em Stamford, Connecticut.

“Vemos maior risco nesses setores, que seriam vulneráveis a uma reversão dos juros reais ou a um aumento das expectativas de inflação”, escreveu em relatório de 14 de julho.

Acalmando mercados

Declarações do presidente do Fed, Jerome Powell, de que o aumento dos custos continua administrável ajudou a acalmar os mercados na semana passada, principalmente depois que um relatório de 13 de julho mostrou que o índice de preços ao consumidor registrou a maior alta desde 2008 no mês passado.

O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos caiu de cerca de 1,42% em 13 de julho para menos de 1,30% em 16 de julho. O índice S&P 500 perdeu 1%, mas permaneceu perto da máxima histórica alcançada no início do mês. E ações de tecnologia de grande capitalização, como da Apple e da Microsoft, ampliaram os recentes ralis apesar da queda mais ampla dos índices acionários.

Ao mesmo tempo, a inflação e a capacidade das empresas de repassar custos aos clientes emergem como um dos principais tópicos nesta temporada de balanços. A palavra inflação foi mencionada em 87% das teleconferências de balanços das empresas do S&P 500 acompanhadas pela Bloomberg neste mês, em comparação com 33% no mesmo período do ano anterior.

Na teleconferência da Conagra em 13 de julho, a inflação foi mencionada 49 vezes. As ações da fabricante de alimentos despencaram depois que a empresa cortou a previsão de lucro para o ano fiscal atual porque espera que os custos mais altos dos insumo pesem nas margens.

A PepsiCo teve melhor desempenho, e os investidores ficaram animados com as previsões de crescimento de lucro e receita, apesar dos alertas de inflação. Johnston, o diretor financeiro da empresa, disse que os clientes estão dispostos a pagar mais pelos produtos, o que ajuda a compensar os custos mais altos de insumos. A ação subiu 4,2% em sua melhor semana desde março, e fechou em nível recorde na sexta-feira.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos