Mercado abrirá em 5 h 57 min
  • BOVESPA

    114.064,36
    +1.782,08 (+1,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,27
    +125,93 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,51
    +0,21 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.753,30
    +3,50 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    44.183,34
    -87,23 (-0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.102,16
    -6,76 (-0,61%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.376,21
    -134,77 (-0,55%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.255,75
    -47,75 (-0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2224
    -0,0026 (-0,04%)
     

Empresas de milionário chinês exilado pagarão US$ 539 milhões para encerrar disputa

·1 minuto de leitura
(2018) Steve Bannon cumprimenta Guo Wengui em Nova York (AFP/Don EMMERT)

Três empresas pertencentes ao milionário chinês exilado Guo Wengui concordaram em pagar US$ 539 milhões à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, sigla em inglês), para encerrar uma disputa sobre captação ilegal de fundos, informaram autoridades nesta segunda-feira.

GTV Media Group, Saraca Media Group e Voice of Guo Media Inc colocaram à venda em 2020 ações e duas criptomoedas, chamadas G-Coins e G-Dollars. Segundo a SEC, Guo Wengui e suas empresas levantaram US$ 487 milhões de mais de 5.000 investidores, incluindo americanos. Mas as empresas não haviam registrado na SEC os títulos vendidos.

O acordo firmado entre o órgão regulador e as três empresas prevê o reembolso dos fundos, além da responsabilidade pelos custos do processo e as multas. O total chega a 539 milhões de dólares, segundo um comunicado da SEC divulgado nesta segunda-feira. Em contrapartida, as três empresas ficarão isentas de reconhecer que violaram a lei de ações.

Em maio de 2021, a consultoria Graphika divulgou um levantamento o qual indicava que Guo Wengui havia criado uma rede de divulgação de informações falsas na internet, da qual fazia parte a plataforma GTV, pertencente ao GTV Media Group.

Refugiado nos Estados Unidos desde 2017, Wengui é buscado por fraude na China, onde acusou uma autoridade do país de controlar secretamente um dos maiores conglomerados chineses.

Além de Guo Wengui, o GTV Media Group tinha entre seus acionistas Steve Bannon, ex-assessor do ex-presidente americano Donald Trump. Bannon foi condenado em agosto de 2020 por ter desviado centenas de milhares de dólares para apoiar o projeto de construção de um muro na fronteira com o México, e indultado por Trump pouco antes de este deixar a Casa Branca.

tu/dho/bt/af/mr/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos