Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,23 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,34 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +0,19 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    50.223,79
    +1.803,62 (+3,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,20 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    -11,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7811
    -0,0048 (-0,07%)
     

Empresas do FTSE 100 participam de campanha climática da ONU

Alex Morales e Jess Shankleman
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Quase 20% das empresas do índice FTSE 100 aderiram a uma campanha das Nações Unidas para eliminar suas emissões de carbono até 2050 em meio às iniciativas do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, de acelerar o combate à mudança climática.

Dezenove componentes do índice acionário de referência do Reino Unido, com capitalização de mercado de cerca de 715 bilhões de libras (US$ 987 bilhões), se comprometeram com a campanha “Race to Zero” da ONU, disse em entrevista Andrew Griffith, representante climático do primeiro-ministro para empresas, que incluem AstraZeneca, Vodafone e Rolls Royce.

Em novembro, o Reino Unido vai sediar em Glasgow a COP26, principal rodada de negociações climáticas da ONU, e Johnson pretende colocar o país na vanguarda dos esforços globais para combater o aquecimento global. Em dezembro, o primeiro-ministro se comprometeu a cortar as emissões do Reino Unido em 68% até 2030 em comparação aos níveis de 1990, a meta mais ambiciosa do G-20. Ao mesmo tempo, pressiona empresas a adotarem a iniciativa para eliminar as emissões até 2050.

“O primeiro-ministro quer muito que criemos um senso real de 'momentum' doméstico para que a COP26 não se trate apenas de líderes mundiais chegando de avião e tirando fotos em frente às bandeiras; trata-se de uma ação climática real”, disse Griffith, parlamentar do Partido Conservador e ex-diretor de operações da Sky.

“Se não conseguirmos fazer com que as empresas tomem medidas sérias sobre o clima, não atingiremos nossos objetivos gerais”, disse.

Griffith foi nomeado “Net Zero Business Champion” do Reino Unido em novembro com a missão de incentivar empresas a adotarem metas de neutralidade de carbono.

Objetivo final

Griffith disse que o objetivo final é incluir toda a comunidade empresarial do Reino Unido, tanto empresas grandes quanto as de pequeno porte.

Compromissos que as empresas devem assumir ao aderir à campanha da ONU incluem emissões líquidas zero até 2050, bem como metas provisórias.

As companhias devem tomar “ações imediatas” e só podem usar compensações que tenham “padrões robustos”, segundo a ONU. As medidas fazem parte do objetivo maior de limitar o aumento da temperatura global desde a Revolução Industrial em 1,5 grau Celsius.

Outras empresas que se comprometeram com as metas climáticas incluem a GlaxoSmithKline, Diageo, Burberry, BT e Reckitt Benckiser, disse Griffith.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.