Empresas devem criar laços entre profissionais

SÃO PAULO - Para muitos especialistas em Recursos Humanos, engajamento profissional é a chave para uma organização de sucesso. Mas, de acordo com Ray Benedetto, especialista em marketing, e Meyer Molly, co-autora do livro “It’s My Company Too! How Entangled Companies Move Beyond Employee Engagement for Remarkable Results”, apenas o engajamento pode não ser suficiente daqui em diante. Para eles, as empresas devem criar um ambiente que estreite os laços entre os profissionais - inclusive com seus líderes.

“Nossa pesquisa revela que várias empresas, onde os profissionais possuem fortes laços emocionais, tiveram melhores resultados e um desempenho excepcional”, afirma Benedetto. Molly também acredita que os profissionais dessas empresas são mais do que engajados, eles são unidos - onde o laço empregado-empresa é profundo, resultando em uma vantagem competitiva sustentável para todas essas empresas.

Envolvimento profissional
Para ajudar a melhorar o envolvimento e promover a união dentro de sua empresa, Benedetto e Meyer sugerem seguir os exemplos de empresas que já se beneficiaram do “engajamento profundo profissional”. Veja abaixo a lista publicada no site Small Business Center:

Ter líderes que façam coisas extraordinárias: uma liderança inovadora pode unir todos os níveis hierárquicos de uma empresa. Os líderes devem saber transformar o relacionamento dos profissionais e o modo de enxergar a instituição.

Construção de uma empresa ética: uma empresa unida tem valores fundamentais explícitos, como o respeito, a confiança, a conduta ética e o cuidado com as equipes. Ações diárias refletem as políticas estabelecidas pelos gestores e empresários de cada organização. A confiança entre os profissionais, fornecedores, clientes e gestores cresce cada vez que uma obrigação é cumprida e uma promessa é mantida.

Investimento no capital humano: os funcionários unidos têm visões compartilhadas em equipe e pensamentos voltados para produção e soluções de problemas da empresa. Definir e manter as métricas de desempenho em cascata - ligando os planos de ações individuais com os objetivos estratégicos e operacionais - é uma ferramenta fundamental para o sucesso do grupo.

Utilizando processos para orientar o desempenho: o primeiro passo para qualquer entendimento do funcionamento de uma empresa unida é definir os principais processos que agregam valores aos clientes. É preciso gerenciar e melhorar os processos constantemente - o que demanda alinhar também o capital humano dentro de cada processo.

Dar liberdade e responsabilidades: os líderes devem atribuir atividades com definições claras do papel de cada profissional e expectativas de desempenho, que ajudam a definir suas responsabilidades na equipe. Liberdade também significa decidir a melhor forma de atingir as próprias metas.

Os líderes devem apoiar a vontade de crescimento do profissional, o que está em jogo a construção de confiança entre ambos. Eles ainda devem desenvolver a autoconfiança e autoestima através do exemplo pessoal e incentivo constante.

Novas ideias e opiniões: empresas que queiram estreitar o relacionamento entre empregados deve criar estruturas e comportamentos que resultem em comprometimento. Assim como: identificar e reparar erros e promover discussões abertas com todos os profissionais para possíveis melhorias.

Divulgar os resultados notáveis: estabelecer vínculos com empregados é mostrar sua importância dentro da empresa. Por isso, mostre os resultados positivos que a empresa teve, quais serão seus investimentos e quais metas foram estabelecidas para cada de seus empregados.

Carregando...