Mercado fechará em 2 h 6 min
  • BOVESPA

    121.921,14
    +1.572,34 (+1,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.250,64
    +358,36 (+0,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,32
    -0,04 (-0,08%)
     
  • OURO

    1.837,30
    +7,40 (+0,40%)
     
  • BTC-USD

    36.112,25
    +53,37 (+0,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    702,17
    -32,97 (-4,49%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.720,65
    -15,06 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.862,77
    +288,91 (+1,01%)
     
  • NIKKEI

    28.242,21
    -276,97 (-0,97%)
     
  • NASDAQ

    12.805,75
    +3,50 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3614
    -0,0312 (-0,49%)
     

Empresas da zona do euro veem aumento de produtividade devido à pandemia, mostra pesquisa do BCE

·1 minuto de leitura
Sede do BCE em Frankfurt

FRANKFURT (Reuters) - As empresas da zona do euro esperam sair mais eficientes da pandemia de coronavírus graças ao maior uso de tecnologias digitais e trabalho remoto, mostrou uma pesquisa do Banco Central Europeu nesta segunda-feira.

O surto de Covid-19 causou a maior contração econômica em séculos, mas pode acabar dando alguma esperança para as empresas a longo prazo, forçando-as a modernizar suas operações e a se tornar mais adaptáveis.

O BCE perguntou a 72 empresas dos setores industrial e de serviços sobre o impacto a longo prazo da pandemia na forma como operam e no ambiente à sua volta.

O banco descobriu que as empresas esperam que o home office, as reuniões virtuais e uma maior digitalização continuem fazendo parte de sua vida diária, mesmo após a pandemia, junto com a demanda reduzida.

"Em grande medida, isso parece refletir uma visão de que algumas mudanças nos hábitos de vida e de trabalho provocadas pela pandemia, especialmente o aumento da conduta de negócios e consumo online e uma consequente redução nas viagens, serão incorporadas", escreveu o BCE em um artigo que acompanha os resultados da pesquisa.

Essas mudanças devem ajudar a aumentar a produtividade e reduzir o número de funcionários.

"Isso parece refletir como as empresas aprenderam a manter a produção, apesar das restrições devido ao distanciamento social e à identificação de ganhos de eficiência relacionados", disse o BCE.

Mais de três quartos dos entrevistados na pesquisa do BCE disseram que suas empresas seriam mais eficientes e resilientes após a pandemia.

Por outro lado, algumas ideias que surgiram na parte inicial do surto, como expectativas de que as empresas internalizarão ou localizarão parte de sua cadeia de suprimentos, caíram em desuso.