Mercado fechará em 2 h 34 min
  • BOVESPA

    108.825,91
    +996,18 (+0,92%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.840,13
    -495,38 (-0,93%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,51
    +0,37 (+0,48%)
     
  • OURO

    1.888,50
    +3,70 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    22.783,57
    -126,55 (-0,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,66
    -12,24 (-2,28%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.962,60
    -194,09 (-0,57%)
     
  • FTSE

    7.891,01
    +26,30 (+0,33%)
     
  • HANG SENG

    21.283,52
    -15,18 (-0,07%)
     
  • NIKKEI

    27.606,46
    -79,01 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    12.571,25
    -205,50 (-1,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6197
    +0,0426 (+0,76%)
     

Empresas brasileiras projetam US$ 8 milhões em negociações na Colômbia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Colombiatex, principal feira do setor têxtil na América Latina, vai ter a participação de 29 empresas brasileiras, com expectativa de movimentar US$ 8 milhões em negócios nos três dias da feira e concluir transações de até US$ 70 milhões até o fim do ano, segundo a Texbrasil, programa de internacionalização da indústria têxtil nacional.

O programa inclui empresas como Lycra, Brand Têxtil e Elasfil. Além da Abit (associação do setor), a ApexBrasil (agência brasileira de exportações e investimentos) também faz parte do controle da Texbrasil.

Rafael Cervone, diretor geral do Texbrasil e presidente emérito da Abit, afirma que a feira deste ano deve ajudar o setor a romper com o baixo volume de negócios dos últimos dois anos.

Segundo a organização, as operações do setor têxtil brasileiro com a Colômbia movimentaram quase US$ 80 milhões entre janeiro e outubro do ano passado.

A Colombiatex, que recebeu mais de 20 mil visitantes na edição anterior, reúne 500 expositores de países como Índia, Espanha, México, Equador, Peru, Itália e Estados Unidos.