Mercado abrirá em 3 h 3 min
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,70
    -0,07 (-0,13%)
     
  • OURO

    1.852,60
    -2,60 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    31.865,59
    -502,70 (-1,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    644,59
    -32,31 (-4,77%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.671,79
    +32,94 (+0,50%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    -767,75 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.546,18
    -276,11 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.442,00
    -33,50 (-0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6920
    +0,0558 (+0,84%)
     

Empresas americanas suspendem doações a campanhas políticas após invasão do Capitólio

PAULA SOPRANA
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Companhias americanas estão suspendendo contribuições com campanhas e revisando ações de doação após a invasão do Capitólio por apoiadores de Donald Trump. O banco JP Morgan Chase disse que decidiu interromper as doações por seis meses. "Os terríveis acontecimentos da semana passada nos levaram a fazer uma pausa e reavaliar nossas estratégias de doação para as campanhas políticas", disse o banco à coluna. Segundo a instituição, essas ações terão uma aparência diferente no futuro. O grupo de hotéis Marriott resolveu direcionar a suspensão aos políticos dos EUA que votaram contra a certificação da eleição de Joe Biden. A empresa chamou a invasão do Capitólio de um evento "destrutivo para minar uma eleição legítima e justa".