Mercado fechará em 5 h 56 min
  • BOVESPA

    102.814,03
    0,00 (0,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.796,30
    +303,78 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,96
    -1,99 (-2,84%)
     
  • OURO

    1.793,30
    +8,10 (+0,45%)
     
  • BTC-USD

    57.861,12
    +830,96 (+1,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.468,33
    +39,40 (+2,76%)
     
  • S&P500

    4.655,27
    +60,65 (+1,32%)
     
  • DOW JONES

    35.135,94
    +236,60 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.051,31
    -58,64 (-0,82%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.318,25
    -72,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3660
    +0,0368 (+0,58%)
     

Empresas agora querem invadir os sonhos alheios com anúncios

·1 min de leitura

Desde que pesquisadores conseguiram inserir imagens nos sonhos de outras pessoas, pairou no ar aquela sensação de que "a tecnologia está indo longe demais". Pelo visto, dá para ir mais longe ainda: um grupo de cientistas de Harvard, do Massachusetts Institute of Technology (MIT) e da Universidade de Montreal publicaram uma pesquisa alegando que 77% dos profissionais de marketing planejam usar publicidade nos sonhos — e isso nos próximos três anos.

Os pesquisadores alertam que o uso comercial com fins lucrativos da incubação de sonhos (a apresentação de estímulos antes ou durante o sono para afetar o conteúdo dos sonhos) está rapidamente se tornando uma realidade. "Vários estudos de marketing estão testando abertamente novas maneiras de alterar e conduzir o comportamento de compra durante o sono", afirma o grupo, em entrevista ao portal Aeon.

Empresas planejam inserir anúncios nos seus sonhos; especialistas criticam (Imagem: Zohre Nemati/Unsplash)
Empresas planejam inserir anúncios nos seus sonhos; especialistas criticam (Imagem: Zohre Nemati/Unsplash)

No início do ano, os pesquisadores chegaram a fazer uma crítica a anunciantes que planejam "hackear" os sonhos, e aproximadamente 40 cientistas assinaram o documento, que anunciava que a Federal Trade Commission, que regula a publicidade nos Estados Unidos, deveria atualizar as diretrizes para proibir essa técnica de invadir os sonhos alheios com anúncios.

"É importante agir antes que seja tarde demais. É apenas uma questão de tempo para que as empresas que fazem wearables, aplicativos e outras tecnologias que monitoram o sono comecem a vender esses dados para obter lucro", alertam os cientistas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos