Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.717,94
    -517,82 (-0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.460,55
    +652,34 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    93,90
    -0,44 (-0,47%)
     
  • OURO

    1.802,70
    -4,50 (-0,25%)
     
  • BTC-USD

    23.987,12
    +5,40 (+0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    568,55
    -6,20 (-1,08%)
     
  • S&P500

    4.207,27
    -2,97 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.336,67
    +27,16 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.465,91
    -41,20 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    20.082,43
    +471,59 (+2,40%)
     
  • NIKKEI

    28.427,21
    +607,88 (+2,19%)
     
  • NASDAQ

    13.322,00
    +10,75 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3236
    -0,0001 (-0,00%)
     

Empresas adiam vendas de títulos ao ritmo mais rápido em anos

(Bloomberg) -- Empresas globais desistiram de vender títulos de dívida nos últimos seis meses mais vezes do que em todo o ano de 2020.

Mais de 70 negócios foram adiados ou cancelados até agora em 2022, segundo dados compilados pela Bloomberg, contra 37 em 2021 e 67 em 2020.

Embora isso seja até onde os dados estão disponíveis, provavelmente já se passaram vários anos desde que tantas empresas se retiraram do mercado, dada a era recente de dinheiro barato e abundante.

Agora, as condições financeiras estão mudando rapidamente. O maior selloff de títulos em décadas, taxas de juros crescentes e inflação fora de controle estão afastando as empresas da tomada de grandes decisões. Ofertas públicas iniciais e fusões e aquisições também estão sendo cada vez mais suspensas até que a turbulência do mercado diminua.

“Levantar capital junto com dívida para financiar aquisições está se tornando mais difícil para as empresas”, disse Carlos Fontana, responsável por crédito sindicalizado da UniCredit SpA.

Quando grandes empresas vão para o mercado de títulos, elas estão tendo que aceitar termos menos atraentes. O banco de desenvolvimento estatal da Alemanha, Kreditanstalt fuer Wiederaufbau, pagou seu prêmio mais caro ainda para vender títulos verdes nesta semana, mostrando que os custos estão subindo acentuadamente até mesmo para os emissores mais seguros.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos