Mercado fechará em 1 h 36 min
  • BOVESPA

    111.397,00
    -2.415,87 (-2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.500,13
    -229,67 (-0,47%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,15
    -0,35 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.762,30
    -8,90 (-0,50%)
     
  • BTC-USD

    21.373,14
    -1.933,37 (-8,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    508,09
    -33,52 (-6,19%)
     
  • S&P500

    4.228,58
    -55,16 (-1,29%)
     
  • DOW JONES

    33.711,40
    -287,64 (-0,85%)
     
  • FTSE

    7.550,37
    +8,52 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    19.773,03
    +9,12 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.930,33
    -11,77 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    13.260,75
    -262,50 (-1,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1946
    -0,0192 (-0,37%)
     

Empresas aderem a cobranças de Elon Musk e voltam a exigir trabalho presencial

Durante a pandemia, o conceito de trabalho remoto se espalhou no mercado corporativo, especialmente no setor de tecnologia. Muitas empresas que torciam o nariz contra a ideia do home office, acabaram tendo que se adequar por necessidade. No final das contas, os colaboradores gostaram desse modelo e, mesmo com o retorno das atividades presenciais, ele continuou em vários grupos. Mas gigantes, como a Tesla de Elon Musk, não.

Segundo dados levantados pelo TechRadar Pro, poucas empresas estão convencidas da viabilidade a longo prazo do atividade remota em tempo integral. A pesquisa envolveu 3 mil profissionais de TI e outros trabalhadores e foi realizada em parceria com a firma de segurança de rede e nuvem Perimeter 81. A maioria das empresas (59%) permitiu que menos da metade da força de trabalho mudasse para um modelo de trabalho remoto ou híbrido.

Quase um quarto (24%) das empresas exigiram que todos os funcionários voltassem ao escritório em período integral, à medida que as restrições da pandemia são retiradas. E essa parece ser uma tendência crescente, especialmente quando o mercado de tecnologia tem como referência o CEO da Tesla, Elon Musk, que exigiu o retorno das atividades presenciais.

Elon Musk impõe “tolerância zero” na Tesla

Um dos críticos mais ferozes ao trabalho remoto é Elon Musk, que anunciou recentemente uma política de “tolerância zero” na Tesla. “Qualquer pessoa que deseje fazer trabalho remoto deve estar no escritório por um mínimo (e quero dizer mínimo) de 40 horas por semana ou sair da Tesla. Isso é menos do que pedimos aos trabalhadores da fábrica”, escreveu, em carta aos funcionários.

Na semana passada, boatos sugeriram que a Tesla vem monitorando ativamente a presença em seus escritórios e enviando mensagens automatizadas para trabalhadores que não comparecem frequentemente. Esses funcionários estão sendo solicitados a explicar sua ausência à gerência. Musk chegou a dizer aos incomodados com a política para “fingirem que trabalham em outro lugar”.

E, embora a maioria das empresas provavelmente lide com a situação de um jeito mais delicado, os dados mostram que muitas seguindo Musk. A grande maioria das empresas continuou a operar em pelo menos um escritório corporativo. Apenas 17,4% dos entrevistados afirmaram estar completamente no modelo remoto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos