Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.345,81
    -3.343,05 (-5,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Empresa viola LGPD e terá que pagar indenização para funcionária

·2 min de leitura

Uma loja da franquia Cacau Show, localizada em Ponte Nova, Minas Gerais, foi condenada a pagar uma indenização de R$ 5 mil após divulgar em seu site oficial o número do telefone particular de uma funcionária como se fosse da loja.

A decisão foi da Vara do Trabalho de Ponte Nova, onde o caso ocorreu, e foi publicada em 10 de novembro. O juiz convocado, Ricardo Marcelo Silva, atuou como relator, e afirmou que a funcionária foi prejudicada. "Apesar de não ser possível identificar a trabalhadora apenas pelo número informado, seria possível identificá-la assim que o cliente entrasse em contato com ela, invadindo sua privacidade", diz a decisão.

No processo, a vítima alega que recebeu ligações de clientes às 4h da manhã. A ex-funcionária deu entrada na ação trabalhista em 2020, que tramitou no Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais até novembro deste ano. Segundo as provas apresentadas durante o processo, foi constatado que a inserção do número de telefone privado no site da loja foi realizado entre março e outubro de 2020.

LGPD e Constituição usados na condenação

De acordo com o relator do processo, foi considerado que a divulgação do dado pessoal da empregada desrespeitou a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que entrou em vigor em sua totalidade em primeiro de agosto deste ano. A LGPD tem por objetivo assegurar o direito à privacidade e à proteção de dados pessoais dos usuários, através de práticas transparentes e seguras, para garantir seus direitos fundamentais

O juiz também considerou que o artigo 5º da Constituição da República, que diz que "são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação", não foi respeitado pela loja. Com isso, a franqueada da Cacau Show foi condenada em decisão unânime pela Nona Turma do TRT de Minas, a indenizar em R$ 5 mil a ex-funcionária.

O Canaltech entrou em contato com o grupo Cacau Show para saber um posicionamento sobre o assunto, e assim que tivermos uma resposta atualizaremos esta matéria.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos