Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.027,19
    -913,55 (-1,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Empresa testa veículo voador elétrico e individual que chega a 260 km/h

·3 min de leitura

Imagine como seria voar de casa até o escritório usando um meio de transporte particular, capaz de decolar na vertical e percorrer longas distâncias numa velocidade de quase 260 km/h. Parece coisa de filme de ficção científica ou do desenho animado Os Jetsons, mas o protótipo de veículo voador pessoal já é realidade para uma startup norte-americana.

A ZEVA Aero, em parceria com pesquisadores da Universidade Estadual de Washington (WSU), começou a testar os componentes de uma aeronave elétrica (eVTOL) que decola e pousa na vertical, levando apenas um passageiro por vez. O primeiro modelo funcional será usado em missões de resgate e serviços de emergência.

“Embora gerações tenham sonhado com máquinas voadoras pessoais fáceis de usar que pudessem levar as pessoas diretamente de um ponto a outro, o maior desafio tem sido ter impulso suficiente para tirar alguém do chão. Hoje já é possível instalar várias pequenas hélices que permitem essa modalidade de transporte”, explica o professor de engenharia mecânica Konstantin Matveev.

Como ele voa?

Voando em sua velocidade máxima — de 257 km/h — o veículo projetado pela ZEVA tem autonomia suficiente para percorrer 80 km. O sistema de voo funciona como o de um helicóptero, pairando inicialmente durante a decolagem e depois se inclinando na horizontal para aproveitar o arrasto reduzido, como acontece com os aviões.

Os engenheiros também vão intensificar os testes com o sistema de propulsão da aeronave em laboratório, utilizando um programa de modelagem computacional. A ideia é medir o torque e a eficiência do motor, simulando o fluxo de ar ao redor das hélices antes de colocar o protótipo em uma situação real de voo com um piloto humano.

“Ainda precisamos otimizar o impulso vertical e o controle da aeronave para garantir uma experiência de voo com total segurança. Nos últimos anos, a tecnologia avançou a tal ponto que hoje podemos modelar e prever condições reais do ambiente sem colocar pessoas em risco”, acrescenta Matveev.

Quando estreia?

Máquinas voadoras funcionando como carros particulares estão cada vez mais perto de se tornarem realidade. Muitas empresas estão trabalhando em projetos de carros elétricos que voam, como alternativa de deslocamento para o trânsito saturado das grandes cidades espalhadas pelo mundo.

A própria Embraer já começou a testar um caminho seguro para o seu carro voador elétrico na cidade do Rio de Janeiro. Por enquanto, um helicóptero convencional será utilizado no trajeto até o Aeroporto Internacional Tom Jobim. Depois, a operação será realizada com uma aeronave elétrica de pouso e decolagem vertical conhecida como EVA (Eletric Vertical Aircraft).

Já o projeto da ZEVA Aero deve demorar um pouco mais para ganhar seus primeiros testes reais. Segundo executivos da empresa, o protótipo ainda precisa passar por experimentos em escala menor, além de ampliar os investimentos para a sua produção em escala industrial.

“Para aqueles que estão se perguntando quando poderemos ter nossas próprias máquinas voadoras elétricas, tenho esperança de ver esses veículos se tornarem realidade dentro de cinco a dez anos, especialmente com o desenvolvimento de baterias mais leves e eficientes”, encerra Konstantin Matveev.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos