Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.518,06
    +551,24 (+1,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Empresa sul-coreana lançará foguete a partir de Alcântara em dezembro

A Innospace, uma startup aeroespacial sul-coreana, pretende realizar seu primeiro lançamento suborbital em dezembro deste ano, partindo do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão. A ocasião servirá como teste para o HANBIT-TLV, um foguete de teste de estágio único com cerca de 16,3 metros de altura, que serve como plataforma de desenvolvimento para o lançador de satélites comercial da startup, o HANBIT-Nano.

O foguete HANBIT-TLV durante uma rodada de teste nas instalações da startup em Geumsan, Coréia do Sul (Imagem: Reprodução/Innospace)
O foguete HANBIT-TLV durante uma rodada de teste nas instalações da startup em Geumsan, Coréia do Sul (Imagem: Reprodução/Innospace)

O HANBIT-Nano é projetado para levar uma carga útil de até 50 kg para uma órbita polar (que cruza os polos do planeta), a aproximadamente 500 km de altitude. Ambos os foguetes têm um primeiro estágio com um motor híbrido de 15 toneladas, alimentado por oxigênio líquido e parafina.

Além disso, o estágio superior do HANBIT-Nano tem um motor híbrido de 3 toneladas. “Se o lançamento for bem-sucedido, começaremos a nos preparar para um teste do Hanbit-Nano”, disse Kim Jung-hee, porta-voz da startup.

O foguete de testes transportará um sistema de navegação inercial (SISNAV) criado pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) da Força Aérea Brasileira (FAB). A tecnologia utiliza um computador, sensores de movimento e rotação para determinar a posição, orientação e velocidade de um objeto sem um referencial externo. Entretanto, segundo um porta-voz da Innospace, a carga não será liberada no espaço,

O SISNAV, tecnologia brasileira, durante um teste realizado a bordo de uma aeronave da FAB (Imagem: Reprodução/FAB/IAE)
O SISNAV, tecnologia brasileira, durante um teste realizado a bordo de uma aeronave da FAB (Imagem: Reprodução/FAB/IAE)

Segundo Jung-hee, o Brasil ofereceu o Centro de Lançamento de Alcântara para que a startup realizasse seus voos a partir de lá. Em troca, a FAB enviará sua carga útil. Vale lembrar que em maio, a Innospace revelou seus planos realizar até 20 lançamentos a partir do território brasileiro.

Desde sua fundação, em 2017, a Innospace já levantou US$ 27,76 milhões de financiamento. Em janeiro, a startup assinou um memorando com o centro espacial norueguês Andøya Space, para também lançar seus foguetes a partir de lá.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos