Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.822,36
    -814,03 (-0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.069,54
    -425,87 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,30 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.869,00
    +28,80 (+1,57%)
     
  • BTC-USD

    35.032,64
    +632,66 (+1,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    695,42
    -5,19 (-0,74%)
     
  • S&P500

    3.854,97
    +56,06 (+1,48%)
     
  • DOW JONES

    31.174,53
    +244,01 (+0,79%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.962,47
    +320,19 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.523,26
    -110,24 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    13.308,25
    +322,75 (+2,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4199
    -0,0787 (-1,21%)
     

Empresa de segurança Mimecast diz que hackers usaram seus produtos para espionar clientes

·1 minuto de leitura
.

(Reuters) - A provedora de serviços de segurança para e-mails Mimecast disse nesta terça-feira que hackers tomaram o controle de seus produtos para espionar clientes.

A empresa disse que foi alertada sobre o ataque pela Microsoft e que uma ameaça sofisticada comprometeu o certificado usado para proteger as conexões entre seus produtos e os serviços em nuvem da Microsoft.

Em comunicado, a empresa disse que cerca de 10% de seus mais de 36 mil clientes foram afetados, mas acredita que menos de 10 usuários foram especificamente visados.

A porta-voz da Mimecast, Laura Barnes, não quis fazer mais comentários. "Nossa investigação está em andamento e não temos nada adicional para compartilhar no momento", disse ela.

A Mimecast oferece uma variedade de produtos de segurança para e-mails, como sistemas para bloquear links da web maliciosos, tentativas de phishing e invasores que usam identidades falsas para enganar suas vítimas para que revelem informações confidenciais.

Três investigadores de cibersegurança, que falaram sob condição de anonimato para discutir detalhes de uma investigação em andamento, disseram à Reuters suspeitarem que os hackers que comprometeram a Mimecast são o mesmo grupo que invadiu a desenvolvedora de software SolarWinds e uma série de agências governamentais sensíveis dos EUA.

O ataque à SolarWinds foi divulgado no mês passado e é uma das campanhas de espionagem cibernética mais ambiciosas já descobertas. As agências de inteligência dos EUA culparam a Rússia, que negou repetidamente as acusações.

(Por Jack Stubbs e Raphael Satter)