Mercado fechará em 3 h 19 min
  • BOVESPA

    121.755,34
    -153,69 (-0,13%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.252,54
    -614,61 (-1,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,98
    +0,06 (+0,09%)
     
  • OURO

    1.835,30
    -2,30 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    55.987,96
    -1.909,55 (-3,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.498,10
    +1.255,43 (+517,32%)
     
  • S&P500

    4.144,58
    -43,85 (-1,05%)
     
  • DOW JONES

    34.232,22
    -510,60 (-1,47%)
     
  • FTSE

    6.947,99
    -175,69 (-2,47%)
     
  • HANG SENG

    28.013,81
    -581,89 (-2,03%)
     
  • NIKKEI

    28.608,59
    -909,71 (-3,08%)
     
  • NASDAQ

    13.291,50
    -65,25 (-0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3484
    +0,0082 (+0,13%)
     

Empresa "revive" o Firefox Send para enviar arquivos criptografados de até 10 GB

Alveni Lisboa
·3 minuto de leitura

A startup Socket Inc. lançou um aplicativo chamado Wormhole, que serve para criptografar arquivos e disponibilizá-los online para quem tiver a chave para baixá-lo. O diferencial deste serviço é que ele roda em qualquer navegador e não expõe o usuário, já que não exige cadastro e os downloads são feitos de maneira criptografada.

O Wormhole permite carregar, via navegador, até 10 GB de arquivos locais. Os dados são codificados localmente e carregados nos servidores da empresa, que retornam com um link para ser compartilhado com qualquer pessoa por SMS, e-mail, aplicativos de chat ou outras formas. Os links protegidos têm duração de apenas 24 horas antes de expirar.

(Imagem: Reprodução/Wormhole)
(Imagem: Reprodução/Wormhole)

Uma das principais novidades do app é o chamado “streaming instantâneo”, no qual um usuário pode ter acesso a links dos arquivos antes mesmo que ele seja totalmente carregado — muito útil para vídeos e conjunto de fotos, por exemplo. Isso permite que uma pessoa comece a baixá-lo antes que a outra conclua o upload, o que agiliza e muito a vida de quem lida com arquivos grandes.

Esta criação é inspirada no Firefox Send, lançado pela Mozilla em 2017 e descontinuado um e meio depois. O aplicativo usa o mesmo esquema de criptografia do seu "antecessor espiritual" (AES-GCM de 128 bits) para proteger arquivos antes que saiam do navegador.

Segundo o fundador da Socket, Feross Aboukhadijeh, a ideia foi aprimorar o conceito do antigo app e trazê-lo de volta em uma versão repaginada. "Adoramos o Firefox Send e ficamos tão desapontados quando ele foi encerrado que decidimos reconstruí-lo, mas com melhorias adicionais", explicou.

Firefox Send fez bastante sucesso quando chegou, mas foi descontinuado (Imagem: Reprodução/Mozilla)
Firefox Send fez bastante sucesso quando chegou, mas foi descontinuado (Imagem: Reprodução/Mozilla)

O objetivo do Wormhole é fornecer uma alternativa mais segura aos provedores de serviços em nuvem, onde os arquivos carregados não são criptografados de ponta a ponta. Para o criador do app, apenas isso não seria suficiente para trazer usuários, razão pela qual estão trabalhando para tornar as transferências mais rápidas do que os serviços tradicionais, como Dropbox, Google Drive e WeTransfer.

Uso indevido do compartilhamento

Dentre as razões citadas pela Mozilla para encerrar o Firefox Send estava a utilização indevida para divulgar pirataria, conduzir ataques de phishing e distribuir vírus e outros malwares na internet. Sobre isso, Aboukhadijeh acredita ser administrável, assim como o WhatsApp e o Signal fazem com seus programas, que também oferecem criptografia ponta a ponta.

"Se for o caso, será preciso introduzir a varredura de vírus do lado do cliente para proteger os usuários de malware, antes de enviar arquivos para nossos servidores. Existem muitas abordagens promissoras que podemos explorar se isso se tornar um problema", explicou.

Mais segurança para quem precisa

O desenvolvedor da Socket planeja abrir o código de criptografia do aplicativo para análise pela comunidade de segurança nos próximos dias e lançar um programa de recompensa de até US$ 1 mil para quem encontrar falhas. A longo prazo, o plano é contratar auditores especializados para produzir um relatório sobre potenciais brechas.

Além de criptografia ponta a ponta, o site permite baixar arquivos antes de o outro lado concluir a transferência (Imagem: Reprodução/Wormhole)
Além de criptografia ponta a ponta, o site permite baixar arquivos antes de o outro lado concluir a transferência (Imagem: Reprodução/Wormhole)

O serviço é 100% gratuito, mas a empresa planeja lançar alguns planos específicos para empresas ou usuários que necessitam transferir arquivos maiores ou de funcionalidades específicas voltadas para a segurança. A ideia é oferecer um serviço mais confiável para quem lida com dados sensíveis, como escritórios de advocacia, consultórios médicos e similares.

A melhor parte é que o Wormhole roda em qualquer navegador e pode ser usado para subir arquivos do computador, tablet ou celular com acesso à internet. Há também uma versão em aplicativo específico para Windows. Mais informações estão disponíveis na página do aplicativo.

Ficou interessado ou ainda prefere usar os serviços mais conhecidos? Deixe sua opinião.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: