Mercado fechado

Empresa quer construir colônia autossustentável para simular vida em Marte

Felipe Junqueira

Ainda faltam pelo menos 10 anos até que a NASA comece a enviar astronautas para explorar Marte, mas os preparativos já precisam começar. Entre eles, está a adaptação dos visitantes a um ambiente consideravelmente diferente da Terra, mesmo que seja com um suporte artificial de vida para que as condições se pareçam com as do nosso planeta.

E uma empresa, a Interstellar Lab, quer ajudar nesse processo. A companhia anunciou que pretende construir uma espécie de vila espacial no deserto Mojave, na Califórnia. Chamado Experimental Bioregenerative Station (“estação biorregenerativa experimental”, sigla EBIOS, em inglês), o projeto prevê domos de vidro para o cultivo de vegetação - inclusive comestível - e quartos luxuosos.

A “vila espacial” não serviria apenas para treinar astronautas, mas também receber para turistas endinheirados que, pelo custo de US$ 3.000 a US$ 6.000, poderiam passar uma semana na colônia. A ideia por enquanto está apenas no papel, mas a Interstellar Lab já tem quatro possíveis localizações para começar a construção no deserto Mojave.

Autossustentável

Conceito da colônia autossustentável que pode ser construída no deserto para treinar astrounautas que vão a Marte (Foto: Reprodução/Twitter)

O projeto foi todo pensado para criar uma vila autossustentável com pegada de carbono neutro e sem desperdícios. Água, comida e energia devem ser reciclados. Tudo será, de alguma forma, reaproveitado. Isso não apenas segue preceitos de sustentabilidade, como é essencial para uma colônia extraterrestre, onde todo recurso é valioso.

A colônia teria capacidade para até 100 visitantes simultâneos, que ficariam distribuídos em pequenas estações, cada um com seu próprio centro de treinamento para os astronautas, espaços comuns, centro de música e arte e laboratórios de pesquisa. E todas ligadas a domos de vidro, onde seria cultivada vegetação, essencial para garantir ar puro.

O deserto Mojave foi escolhido por ser árido e desolado, bastante parecido com as condições de Marte. A diferença é a temperatura, muito mais alta do que os -60ºC do Planeta Vermelho, que, no inverno, pode chegar a -126°C.

Os planos incluem seis meses de exclusividade para o treinamento dos astronautas e os outros meses ficariam livres para aqueles que desejarem passar uns dias em uma colônia que simula como seria viver no ambiente marciano.

Experimento não é novo

Nos anos 1990, um grupo tentou criar uma colônia autossustentável para simular a vida extraterrestre no deserto do Arizona. A Biosphere 2 foi ocupada por quatro homens e quatro mulheres. No entanto, o experimento não funcionou, em parte porque o tipo de cultivo realizado por lá criou uma espécie de bactéria devoradora de oxigênio.

Após dois anos, a comida ficou escassa, e a falta de oxigênio também afetou os habitantes. Quando saíram, eles estavam divididos em facções e alguns deles não se falavam mais, além de tudo.

Para evitar esses problemas, a Interstellar Lab contou que tem conversado com pesquisadores para evitar cometer os mesmos erros. A NASA também está envolvida no projeto, que pode ainda incluir outra estrutura parecida no Cabo Canaveral, na Flórida, onde fica o Kennedy Space Center.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: