Mercado abrirá em 7 h 14 min
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,11
    -0,04 (-0,06%)
     
  • OURO

    1.741,20
    +4,90 (+0,28%)
     
  • BTC-USD

    63.012,55
    -899,86 (-1,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.374,50
    -1,27 (-0,09%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.939,58
    +49,09 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    28.621,27
    -279,56 (-0,97%)
     
  • NIKKEI

    29.617,54
    -3,45 (-0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.827,50
    +28,75 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7693
    -0,0036 (-0,05%)
     

Empresa espanhola desenvolve técnica para jeans sustentáveis

Laura Millan Lombrana, Macarena Munoz Montijano e Rodrigo Orihuela
·3 minuto de leitura

A fabricação da peça de roupa mais icônica da era moderna - as calças jeans - também é uma das mais prejudiciais ao meio ambiente.

Bilhões de peças são vendidas a cada ano, dos mais variados estilos. Os jeans que parecem desgastados - por horas ao sol ou lavagens repetidas - quase nunca passaram por esse processo. Esse efeito foi obtido já na linha de produção, a partir de produtos químicos tóxicos misturados com água. O que acontece com esse líquido contaminado? Muitas vezes é despejado em rios e oceanos.

Enrique Silla busca reduzir essa poluição. Nos últimos 26 anos, sua empresa, a Jeanologia, desenvolveu métodos de produção que reduzem até 90% da água do processo. Ele estima que 35% dos jeans no mundo todo são fabricados com pelo menos uma das máquinas da empresa. “Escolhemos jeans porque é o produto mais consumido”, diz Silla.

“Quando começamos”, disse, “costumávamos dizer aos nossos clientes que salvar o planeta poderia ser um grande negócio - e eles pensavam que éramos o Greenpeace.” Então, Silla se concentrou em cortar custos porque era a maneira mais fácil de persuadir empresas a mudarem seus métodos. Era “a linguagem que as marcas entendiam”, afirmou.

A empresa fez alguns avanços, mas as coisas realmente decolaram nos últimos cinco anos, à medida que as marcas começaram a abraçar ativamente a sustentabilidade para atrair consumidores mais jovens e preocupados com o clima.

A mudança ajudou a Jeanologia a crescer de um minúsculo escritório subterrâneo na cidade mediterrânea de Valência, na Espanha, para uma empresa global que emprega 220 pessoas em 18 países. Em 2019, a empresa registrou receita de pouco mais de 100 milhões euros (US$ 120 milhões). Silla estima que a companhia evitou a contaminação do equivalente a 14 milhões de metros cúbicos de água no ano passado.

As máquinas projetadas e fabricadas pela Jeanologia são usadas por alguns dos maiores fabricantes de jeans do mundo - produtores em massa em Bangladesh, México, Paquistão, Turquia e Vietnã que não são nomes conhecidos, mas fornecem uma grande parte dos têxteis usados por grandes marcas.

Retirar totalmente a água do processo não é uma opção por enquanto, então a Jeanologia coleta e filtra o líquido de suas máquinas para reaproveitamento. “Um benefício inesperado é que os fabricantes também estão reduzindo o consumo de energia, sua maior fonte de emissões de carbono”, diz Silla. “Eles não precisam aquecer água para misturar os produtos químicos, nem secar roupas para eliminar a água.”

Com a mudança dos métodos, também mudaram as prioridades dos fabricantes de roupas e varejistas. A Jeanologia trabalhou diretamente com algumas das marcas de moda mais conhecidas do mundo, incluindo Levi Strauss, Tommy Hilfiger e Calvin Klein, bem como varejistas como H&M, Uniqlo, da Fast Retailingm e a Inditex, dona da Zara.

O uso total de água da indústria ainda supera muito a quantidade que a Jeanologia pode ajudar a economizar. Em 2017, a produção têxtil respondeu por 93 bilhões de metros cúbicos, de acordo com a Ellen MacArthur Foundation. A indústria é responsável por 20% da poluição global da água industrial.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.