Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,68
    -0,98 (-1,19%)
     
  • OURO

    1.796,40
    -2,40 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    58.338,19
    -2.378,03 (-3,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.395,79
    -78,54 (-5,33%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    -409,53 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    28.763,58
    -334,66 (-1,15%)
     
  • NASDAQ

    15.613,00
    +25,75 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4185
    -0,0062 (-0,10%)
     

Empresa desenvolve avião híbrido-elétrico para competir com carros voadores

·2 minuto de leitura

A startup estadunidense Craft Aerospace quer oferecer uma aeronave que seja capaz de enfrentar os carros elétricos voadores e alguns jatos pequenos e turboélices tradicionais. Para isso, ela desenvolveu um modelo híbrido-elétrico de nove lugares que pode voar por rotas regionais de até 1.600 quilômetros a uma velocidade de 500 km/h, mas com capacidade para pousos e decolagens verticais.

A fuselagem desse veículo lembra muito a de um jato executivo, mas seu funcionamento e motorização são bem diferentes. A começar pelo formato das asas, que carregam 14 rotores de cada lado e estão posicionados como se fosse um losango, com parte desse conjunto se agregando à cauda do avião. O curioso é que essa disposição não indicaria que a decolagem pudesse ser feita de modo vertical, mas uma demonstração da empresa acaba com essas dúvidas.

Ao ligar os motores, o avião se comporta como um verdadeiro eVTOL (veículo elétrico com decolagem vertical), tornando sua operação mais facilitada para cidades e heliportos convencionais. O segredo está na vetorização da força, que é feita com uma pequena inclinação da aeronave e a utilização de flaps na traseira. Para voar em direção frontal, basta que o piloto acione o recolhimento dessa peça.

Segundo a Craft, a aeronave seria capaz de levar até 1.130kgs a uma velocidade de 556 km/h. O powertrain seria híbrido-elétrico, ou seja, parte de seu funcionamento ainda precisaria de querosene de aviação, mas com bem menos poluição e ruídos. Além do ótimo desempenho, o alcance também deve preocupar fabricantes de aviões pequenos, já que o modelo, quando pronto, poderá voar até 1.600 quilômetros de distância.

(Imagem: Divulgação/ Craft Aerospace)
(Imagem: Divulgação/ Craft Aerospace)

Negócio ainda decolando

Por mais promissor que seja seu avião híbrido-elétrico, a Craft ainda está em um estágio inicial de captação de recursos e negociações com clientes. A empresa conseguiu arrecadar US$ 3,5 milhões em uma rodada inicial para criar um modelo de tamanho reduzido, de modo que pudesse testar a tecnologia — o que foi bem-sucedido. Além disso, há uma carta de intenções da companhia aérea JSX para a compra de 200 a 600 unidades.

Se a venda for concretizada, o prazo inicial da Craft para o início das operações, que é 2026, pode ser adiantado. Vale lembrar que muitas outras empresas estão investindo em soluções de mobilidade urbana aérea e elétrica, como a Embraer, Urban, Volocopter, entre outras.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos