Mercado fechado

Empresa de patinetes elétricas Lime sai do Brasil seis meses após chegar

Foto: AP/Michael Sohn

A startup norte-americana Lime, que trouxe suas patinetes elétricas compartilhadas ao Brasil em julho de 2019, anunciou nesta quinta-feira (9) o fim de suas operações no país.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

Em nota, a empresa disse que “tomou a difícil decisão de finalizar a operação no Brasil, assim como em outras cidades da América Latina e em outras regiões, para concentrar recursos em mercados que nos permitam atingir nossas ambiciosas metas para 2020”.

Leia também

Além do Brasil, a Lime está desistindo de outros 10 mercados: Atlanta, Phoenix, San Diego e San Antonio (nos Estados Unidos), Bogotá (Colômbia), Buenos Aires (Argentina), Montevidéu (Uruguai), Puerto Vallarta (México) e Linz (Áustria).

Mais de 100 funcionários em todo o mundo foram demitidos por conta da reestruturação, o que equivale a 14% de toda a equipe. O número de profissionais demitidos no Brasil não foi divulgado.

“Temos confiança de que, em 2020, Lime será a primeira empresa da nova geração de mobilidade a ser lucrativa”, disse o presidente da startup californiana ao site Axios.

As patinetes da empresa devem começar a desaparecer da cidade de São Paulo nas próximas semanas. No Rio de Janeiro, o processo de coleta e encerramento de operações ainda deve demorar alguns meses.