Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.230,12
    +95,66 (+0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.046,58
    +616,83 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,33
    -0,19 (-0,22%)
     
  • OURO

    1.734,00
    +3,50 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    20.290,09
    +711,04 (+3,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    460,91
    +15,47 (+3,47%)
     
  • S&P500

    3.790,93
    +112,50 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    30.316,32
    +825,43 (+2,80%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.616,00
    -24,75 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1561
    -0,0118 (-0,23%)
     

Empresa de games cria museu com mais de 50 mil itens antigos

Museu dos Games fica na cidade de Karlstad, na Suécia (Getty Images)
Museu dos Games fica na cidade de Karlstad, na Suécia

(Getty Images)

  • Embracer Group cria museu de games;

  • Há mais de 50 mil itens catalogados, como jogos, consoles e acessórios;

  • Empresa adquiriu, recentemente, estúdios da Square Enix, com títulos como Tomb Raider.

A Embracer Group, controladora de empresas que desenvolvem e lançam jogos, está determinada a manter viva a história da indústria de games, uma das principais do entretenimento. Para cumprir com esse objetivo, anunciou, recentemente, a criação do Embracer Games Archive, um museu focado em preservar o passado dos jogos eletrônicos.

O local fica na cidade de Karlstad, na Suécia, e conta com cerca de 50 mil itens catalogados, como games, consoles, acessórios e mais. Segundo informações do site oficial, há uma equipe de cinco pessoas trabalhando no museu.

“Imagine um lugar onde todos os videogames físicos, consoles e acessórios estejam reunidos no mesmo lugar. E pense no quanto isso pode significar para a cultura dos jogos e permitir a pesquisa de videogames”, diz David Boström, CEO do setor de arquivo da empresa.

Como próximos passados, a Embracer pretende criar um banco de dados, ainda neste ano, e colaborar com instituições, museus, pesquisadores e jornalistas. Há ainda planos de exibições públicas de parte dos arquivos, tanto na sede quanto em outros lugares, mas isso ainda deve demorar um pouco para acontecer.

Nas últimas semanas, o grupo surpreendeu o mercado ao incorporar os estúdios ocidentais da Square Enix, incluindo séries famosas como Tomb Raider, Deus Ex e Legacy of Kain.

“No Embracer Games Archive, acreditamos que os jogos carregam uma herança que vale a pena celebrar e proteger para o futuro. Nosso objetivo é claro – queremos arquivar e salvar o máximo possível da indústria de videogames”, concluiu o executivo.

Guerra destrói museu

Não é só a Embracer Group que tem a meta de preservar a memória do mundo dos games. Colecionadores também apostam em ambientes com aparelhos, jogos e outras peças antigas, como é o caso de Dmitry Cherepanov, que possuía um museu particular com mais de 500 computadores e videogames na cidade ucraniana de Mariupol, a cerca de 50 quilômetros da fronteira com a Rússia.

A iniciativa, entretanto, chegou a um triste fim. Após sofrer um bombardeio, a coleção que levou mais de 15 anos para ser construída ficou em pedaços, bem como a casa de Cherepanov.

"Saudações aos retrô maníacos! Bem, é isso, o Museu do Computador de Mariupol não existe mais. Tudo o que resta da minha coleção que recolhi durante 15 anos são apenas um fragmento de memórias na página do Facebook, site e estação de rádio do museu. Vou tentar continuar a apoiar o site e a rádio RetroBit, mas a vida agora terá prioridades completamente diferentes. Não existe nem o meu museu nem a minha casa. Dói, mas definitivamente vou sobreviver e encontrar um novo lar!", escreveu no Facebook.

O colecionador costumava realizar posts regulares no site it8bit.club, onde é possível relembrar alguns itens de seu museu particular. Logo na página inicial, ele deixa uma mensagem de despedida a seu sonho.

“A coleção foi recolhida de 2003 a 2018, mas agora está destruída pela guerra que destruiu minha casa, meu museu e toda a minha cidade de Mariupol = (na qual morei por 45 anos. Descanse em paz! Agora só me resta este site como memória do meu museu”.