Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.443,00
    +575,63 (+1,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Empresa de filme adulto quer obrigar streaming expor usuário

·3 min de leitura
JAPAN - 2022/04/22: In this photo illustration, a Netflix logo is displayed on a smartphone screen. (Photo Illustration by Stanislav Kogiku/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Strike 3 pretende obrigar a Netflix e o Google a entregar muitos dados pessoais (Photo Illustration by Stanislav Kogiku/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Strike 3 pretende obrigar a Netflix e o Google a entregar muitos dados pessoais

  • O processo original foi aberto em um tribunal da Flórida contra um réu anônimo em março de 2020

  • Documentos que identificam os dados básicos de registro da conta do Google do usuário acusado e de seus endereços de e-mail alternativos

A Strike 3, produtora de filmes adultos, está processando homem por suspostamente piratear seus usando o BitTorrent. A empresa, então, pretende obrigar a Netflix e o Google a entregar muitos dados pessoais do usuário que ela afirma serem relevantes para seu caso.

A Strike 3 buscar combater de forma firme o compartilhamento ilegal de conteúdo. Ela solicita acessar uma enorme quantidade de dados do réu armazenados no Google. Até a Netflix entrou na história, mesmo que, à primeira vista, não tenha nada a ver com o caso.

Segundo informações do Portal IG, o processo original foi aberto em um tribunal da Flórida contra um réu anônimo em março de 2020. De acordo com a Strike 3, o réu usou sua conta da Frontier Communications (empresa americana de telecomunicação) para baixar e compartilhar 36 de seus títulos “por um longo período de tempo” através do BitTorrent.

Entre as informações solicitadas, estão:

· Documentos que identificam os dados básicos de registro da conta do Google do usuário acusado e de seus endereços de e-mail alternativos.

· Endereços IP usados ​​para acessar as contas do Google desde julho de 2019.

· Registros de conexão para o mesmo período, além de registros relacionados a compras feitas em todos os serviços e produtos do Google.

· As especificações técnicas de cada dispositivo usado pelo réu para acessar os serviços e produtos do Google.

· Documentos identificando todos os arquivos enviados para o Google Drive, todos os vídeos enviados para o YouTube e ainda todos os registros mantidos pelo Google relacionados a pesquisas na Internet feitas pelo réu por termos como 'torrent', 'utorrent' e 'vpn' desde julho de 2019.

Pandemia e streaming levam à queda na pirataria de filmes do Oscar

Que a pandemia do novo coronavírus teve um forte impacto na indústria do cinema, isso todo mundo sabe; agora, os números mostram um reflexo disso, também, sobre a pirataria. De acordo com um novo levantamento, a maior disponibilidade de longas indicados ao Oscar nos serviços de streaming, assim como a menor presença de grandes blockbusters, levou a uma grande baixa no número de downloads na temporada de premiações deste ano.

Os dados são da MUSO, empresa especializada em pesquisas relacionadas à pirataria. A pesquisa coloca Bela Vingança como o filme mais baixado entre os indicados, com uma demanda de aproximadamente 1,3 milhão de downloads entre outubro de 2020 e fevereiro de 2021 — o segundo colocado, Os Sete de Chicago, acumulou cerca de um milhão, enquanto Judas e o Messias Negro aparece bem abaixo, completando o top 3 com 599 mil cópias baixadas.

Os números, para os analistas, desenham um panorama no qual a disponibilidade de longas por streaming faz reduzir a pirataria, mas, ao mesmo tempo, também um em que a presença de grandes atores e blockbusters de renome incentiva os usuários mais do que uma indicação ao Oscar, em si. Prova disso é a proximidade de Os Sete de Chicago do primeiro colocado, cujo elenco tem nomes como Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo) e Sacha Baron Cohen (Borat: Fita de Cinema Seguinte).

A comparação também exibe esse mesmo movimento. Coringa, de 2019, apresentou um pico de mais de 34,8 milhões de downloads em um período semelhante, assim como Ford Vs. Ferrari (7,4 milhões) e Era Uma Vez Em Hollywood... (5,9 milhões), os grandes nomes da temporada de premiações do ano passado. Na temporada de premiações deste ano, é Tenet que sai vencedor, com 17,1 milhões de downloads, ainda que esteja indicado apenas aos prêmios de efeitos visuais e design de produção, passando longe das categorias principais do Oscar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos