Mercado abrirá em 38 mins
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,07
    -1,32 (-3,53%)
     
  • OURO

    1.877,80
    -1,40 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    13.120,02
    -43,37 (-0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    259,28
    -13,41 (-4,92%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.599,11
    +16,31 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.220,25
    +87,50 (+0,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7190
    -0,0154 (-0,23%)
     

Empresa da Omega Energia tem aval do Cade para comprar projeto eólico junto a fundo

Por Luciano Costa
·1 minuto de leitura
.
.

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - Uma empresa da Omega Energia recebeu aprovação do órgão de defesa da concorrência para aquisição de projetos de geração eólica não operacionais na Bahia junto a um fundo de investimento.

O negócio foi fechado entre uma unidade da Omega Desenvolvimento, do mesmo grupo da listada Omega Geração <OMGE3.SA>, e o fundo FIP IEER, e autorizado sem restrições pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), segundo despacho no Diário Oficial da União desta sexta-feira.

A operação envolve ativos e direitos referentes a projetos que serão implementados em duas fases e compreenderão parques eólicos nos municípios baianos de Gentio do Ouro e Xique-Xique, mostrou um parecer do Cade.

De acordo com o documento, após a venda dos ativos o FIP IEER ainda poderá investir no desenvolvimento, implantação e operação dos parques eólicos por meio da aquisição de debêntures conversíveis em ações ordinárias a serem emitidas pela Omega Desenvolvimento 4, empresa que comprará os ativos.

Os valores envolvidos nas transações não foram revelados.

Ao Cade, a Omega disse que a aquisição "representa uma importante oportunidade de construir novos parques eólicos" e acrescentou que a energia a ser produzida deverá ser comercializada no mercado livre de energia e "eventualmente" no mercado regulado, junto a distribuidoras.

O FIP IEER disse ao órgão antitruste que "a operação representa uma boa oportunidade de negócios e parceria com a Omega Desenvolvimento".

Os documentos do Cade também não revelam a capacidade dos projetos negociados.

O órgão concluiu, no entanto, que as empresas envolvidas não possuem participação suficiente no mercado a ponto de causarem prejuízos à concorrência com a operação.