Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.812,87
    +105,11 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.729,80
    -4,24 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,75
    +0,25 (+0,28%)
     
  • OURO

    1.771,70
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    23.237,08
    -126,75 (-0,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    558,74
    +1,01 (+0,18%)
     
  • S&P500

    4.283,74
    +9,70 (+0,23%)
     
  • DOW JONES

    33.999,04
    +18,72 (+0,06%)
     
  • FTSE

    7.541,85
    +26,10 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.763,91
    -158,54 (-0,80%)
     
  • NIKKEI

    28.942,14
    -280,63 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.519,25
    -4,00 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2349
    +0,0211 (+0,40%)
     

Empresa de criptomoedas hackeada oferece R$ 100 milhões para saqueadores

Na última segunda-feira (1º), a Nomad sofreu um grande ataque em seu protocolo. No total, cerca de 1 bilhão de reais em criptomoedas foram subtraídos pelos hackers, deixando seus usuários no prejuízo.

Por conter uma falha grotesca, até mesmo quem não possui conhecimento sobre o tema aproveitou-se da ocasião. Portanto, o ataque está sendo chamado de “a primeira pilhagem descentralizada de uma ponte”.

Tentando reaver o montante, agora a startup está oferecendo o equivalente a R$ 100 milhões e um passe livre para os hackers. Contudo, estes precisam devolver pelo menos 90% da quantia roubada para que a empresa não continue sua perseguição para identificá-los e, por fim, processá-los legalmente.

Assim como outras, a Nomad funciona como uma ponte entre blockchains, permitindo que moedas funcionem fora de seu ecossistema padrão. Entretanto, pelo menos R$ 10 bilhões já foram saqueados destes sistemas desde o início do ano.

Hack da Nomad, ponte entre blockchains

Usar bitcoin (BTC) dentro do Ethereum? Ether (ETH) dentro da Solana? Isso é possível graças as “pontes” — bridges em inglês. De um lado, as moedas originais são trancadas em um contrato, do outro, usuários recebem um token com lastro de 1:1 em tal criptoativo.

Contudo, caso as moedas presas neste contrato sejam roubadas, estes tokens perdem todo seu valor. Foi exatamente isso o que aconteceu com a Nomad devido a um ataque que explorou uma falha em seu protocolo, deixando um rombo equivalente a R$ 1 bilhão de reais.

Conforme o ataque não requeria nenhuma habilidade — bastando seguir os passos dos ladrões anteriores — os fundos da Nomad acabaram sendo saqueados por diversas pessoas. Dentre elas, algumas poderiam estar tentando ajudar, pretendendo devolver o montante depois.

Tentando reaver tal montante, a startup está oferecendo R$ 100 milhões aos saqueadores, prometendo que não tomará medidas legais contra os mesmos. Entretanto, estes precisam estar dispostos a devolver pelo menos 90% das criptomoedas levadas.

“A Nomad está anunciando uma recompensa de 10% aos hackers da Nomad Bridge, assim a Nomad os considerará como white hackers após a devolução de pelo menos 90% dos fundos.”

No total, o endereço postado pela Nomad já conta com R$ 114 milhões em tokens, sendo R$ 32,5 milhões na stablecoin USDC. Portanto, embora a empresa ainda está longe de recuperar tudo, muitos já aceitaram a oferta.

Endereço de recuperação da Nomad. Fonte: EtherScan
Endereço de recuperação da Nomad. Fonte: EtherScan

Ataques a pontes entre blockchains disparam

Segundo estudo da Chainalysis, maior nome da indústria em rastreabilidade, mais de R$ 10 bilhões já foram roubados de pontes entre blockchains apenas neste ano, representando 69% de todos hacks do setor.

Além da Nomad, a perda de R$ 1,5 bilhão da Wormhole, em fevereiro deste ano, foi outro caso que contribuiu para a má fama destes protocolos.

Hacks a pontes crescem na indústria. Fonte: Chainalysis.
Hacks a pontes crescem na indústria. Fonte: Chainalysis.

Por fim, espera-se que o setor consiga evoluir rapidamente, aumentando sua segurança e fornecendo melhores garantias aos seus usuários. Afinal, estas são uma ótima ferramenta de um ecossistema em constante evolução.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos