Mercado fechará em 2 h 31 min
  • BOVESPA

    122.037,73
    +236,52 (+0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.301,45
    +106,02 (+0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,15
    +1,00 (+1,47%)
     
  • OURO

    1.809,00
    -5,50 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    40.194,18
    +807,14 (+2,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    995,03
    +19,14 (+1,96%)
     
  • S&P500

    4.419,77
    +17,11 (+0,39%)
     
  • DOW JONES

    34.982,61
    +189,94 (+0,55%)
     
  • FTSE

    7.120,43
    -3,43 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.142,50
    +69,00 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1487
    +0,0304 (+0,50%)
     

Empresa colocando tablets com anúncios com reconhecimento facial em Ubers

·2 minuto de leitura
Empresa colocando tablets com anúncios com reconhecimento facial em Ubers
Empresa colocando tablets com anúncios com reconhecimento facial em Ubers

Na semana passada nos EUA, uma empresa chamada Alfi fechou um acordo para dar 10 mil tablets com câmeras de reconhecimento facial para motoristas de Uber e Lyft. Os tablets especiais vão exibir anúncios para os passageiros, enquanto uma inteligência artificial vai rastrear as reações deles ao conteúdo mostrado.

A Alfi afirma que sua tecnologia usa “visão de computador” para “reconhecer a demografia do passageiro” e entregar “conteúdo personalizado, assim como anúncios”. Segundo a empresa, os motoristas que aceitarem o tablet poderão receber uma parcela de renda de até “US$ 350”, isso se os passageiros assistirem mesmo os anúncios.

Empresa diz que algoritmo rastreia “pequenas dicas faciais”

Enquanto o site da empresa diz que o algoritmo do Alfi rastreia “pequenas dicas faciais”, o diretor de renda da empresa escreveu no LinkedIn que o Alfi realmente “usa visão de computador para reconhecimento facial”. Mas a empresa também diz que “respeita a privacidade dos usuários; sem rastrear, armazenar cookies, ou usar informação pessoal identificável”, algo previsto na lei de privacidade europeia GDPR.

Em uma apresentação recente, o chefe-executivo da Alfi, Paul Pereira, disse: “Imagine que você é uma mulher de 25 anos usando óculos de sol Gucci, e você está andando por um aeroporto e todas as telas digitais têm anúncios selecionados especialmente para você. Então em vez de ver anúncios de casas de repouso ou cadeiras de roda — que não são relevantes para você como uma mulher de 25 anos — você verá anúncios de moda feminina e óculos de marca trazidos especialmente para você”.

Como a Motherboard apontou, enquanto motoristas de aplicativos têm um trabalho cada vez mais precarizado, uma renda extra é sempre bem-vinda. Mas a Alfi parece só mais uma companhia se aproveitando dessa precarização para fazer reconhecimento facial de milhares e milhares de passageiros de Uber e Lyft, e para exibir ainda mais anúncios. E os motoristas ganham bem pouco em troca disso.

Imagem: freestocks.org / Pexels

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos