Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.904,70
    +1.984,09 (+1,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.277,94
    +343,03 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,83
    +0,12 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.832,90
    +17,20 (+0,95%)
     
  • BTC-USD

    57.805,71
    +1.743,95 (+3,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.493,38
    +57,60 (+4,01%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.728,25
    +130,50 (+0,96%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3593
    -0,0073 (-0,11%)
     

Empresa chinesa usa mais de 1.500 drones para criar QR Code no céu

Felipe Ribeiro
·1 minuto de leitura

Geralmente, quando se utiliza a frase "o futuro chegou", isso se deve a um acontecimento distópico ou que mostra o que poderá ser visto daqui a muitos e muitos anos como padrão. Um caso recente desse tipo de reação ocorreu em Xangai, na China, quando uma empresa de streaming local fez uso de um enxame de drones para criar no céu um QR Code legível que, ao ser identificado, leva o usuário ao site do game Princess Connect! Re: Dive.

Cerca de 1.500 drones foram organizados nos céus de Xangai para a comemoração do primeiro ano do lançamento do game, que foi inspirado em um anime de mesmo nome. Depois de formar o QR Code, também foram feitas imagens dos personagens do jogo. Com o sucesso dessa campanha, muitos profissionais já questionam se esse pode ser o futuro da publicidade.

Veja a imagem abaixo:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O vídeo mostra o código sob vários ângulos:

Outras empresas, como a Hyundai, já usaram desse expediente para propagandas. A montadora empregou 3.000 aeronaves para criar seu logo nos céus de Xangai recentemente. Será que o futuro da publicidade tornará isso cada vez mais comum nos próximos anos?

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: