Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,79
    -0,28 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.807,00
    +5,20 (+0,29%)
     
  • BTC-USD

    38.230,00
    +4.123,16 (+12,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    911,16
    +117,43 (+14,79%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    26.820,55
    -501,43 (-1,84%)
     
  • NIKKEI

    27.942,11
    +394,11 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    15.085,25
    -12,75 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1222
    +0,0006 (+0,01%)
     

Empresa brasileira cria película que mata coronavírus em superfícies

·1 minuto de leitura
Foto ilustrativa: película promete evitar contágio por superfícies. (Foto: Getty Images)
Foto ilustrativa: película promete evitar contágio por superfícies. (Foto: Getty Images)

Uma empresa brasileira lançou um novo produto que promete inovar na forma como a população se protege contra a infecção do coronavírus. A Biocobre criou uma película que, segundo pesquisas da empresa, destrói até 70% dos vírus em dois minutos.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Segundo reportagem do portal G1, a película, feita de cobre, libera partículas eletricamente carregadas, que se ligam ao coronavírus e assim o eliminam. O custo para a aplicação em uma maçaneta é R$ 110, enquanto um corrimão de dois andares sai por R$ 1,8 mil.

Leia também:

A ideia é que esse “filme” seja aplicado sobre superfícies onde haja contato constante das mãos, como maçanetas e catracas, por exemplo, tanto de residências quanto de comércios.

Ao G1, a microbiologista Ana Paula Dores explica o efeito: “Em dois minutos, ela perde mais 77% dos vírus. Então, vai sobrar uma quantidade mínima de vírus que é incapaz de causar uma infecção sintomática em um indivíduo suscetível.”

A ideia é o do empresário Felipe Kavaleski, que investiu cerca de R$ 200 mil para lançar o produto, entre matéria-prima e testes. Nos três primeiros meses de operação, a empresa já vendeu 1,5 mil metros da película.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos