Mercado fechará em 3 h 28 min
  • BOVESPA

    118.761,72
    -884,68 (-0,74%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.202,97
    +77,26 (+0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,02
    -0,29 (-0,54%)
     
  • OURO

    1.865,60
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    31.465,90
    -2.036,19 (-6,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    626,14
    -53,77 (-7,91%)
     
  • S&P500

    3.859,95
    +8,10 (+0,21%)
     
  • DOW JONES

    31.256,25
    +67,87 (+0,22%)
     
  • FTSE

    6.727,58
    -12,81 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    29.927,76
    -34,71 (-0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.756,86
    +233,60 (+0,82%)
     
  • NASDAQ

    13.362,50
    +68,25 (+0,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5270
    +0,1190 (+1,86%)
     

Empresa de biotecnologia Valneva inicia testes em humanos de vacina contra covid-19

·1 minuto de leitura
A vacina candidata da Valneva utiliza a tecnologia do vírus inativado

A empresa de biotecnologia franco-austríaca Valneva, especializada em vacinas, anunciou nesta quarta-feira (16) que iniciará os testes clínicos em humanos de sua futura vacina contra a covid-19, pela qual já recebeu pedidos do Reino Unido.

O teste de fase 1/2, que avaliará a segurança e a imunogenicidade (a capacidad para induzir uma resposta imunológica) de três doses diferentes da vacina (baixa, média, alta) entre 150 adultos saudáveis acontecerá em vários pontos do Reino Unido. 

A vacina candidata tem o apoio do órgão de pesquisa do 'National Institut for Health' britânico, informou a empresa em um comunicado.

A seleção da dose ideal da vacina está planejada para o segundo trimestre de 2021 e a empresa espera obter a autorização de comercialização no quarto trimestre. 

A vacina candidata da Valneva utiliza a tecnologia do vírus inativado, que consiste em criar uma resposta imunológica nas pessoas com a injeção de um vírus privado de sua capacidade de causar danos.

A "VLA2021" é composta por partículas inativadas do vírus Sars-cov-2, que possuem uma forte densidade de proteínas S (a "chave" que permite ao coronavírus penetrar nas células humanas), conjugadas com dois adjuvantes.

lem/pn/cbn/bc/lda/fp