Mercado abrirá em 3 h 42 min
  • BOVESPA

    111.539,80
    +1.204,97 (+1,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.682,19
    +897,61 (+2,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,80
    +0,05 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.724,90
    -8,70 (-0,50%)
     
  • BTC-USD

    50.963,72
    +2.328,78 (+4,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.019,92
    +31,82 (+3,22%)
     
  • S&P500

    3.870,29
    -31,53 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.391,52
    -143,99 (-0,46%)
     
  • FTSE

    6.692,99
    +79,24 (+1,20%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.168,75
    +113,50 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8704
    +0,0083 (+0,12%)
     

Empresa anuncia primeiro teste capaz de detectar variantes do coronavírus

Nathan Vieira
·2 minuto de leitura

Desde o fim do ano passado, variantes do coronavírus estão sendo encontradas em inúmeros países, preocupando os especialistas. E frente a isso, uma empresa da Coreia do Sul chamada Seegene Inc anunciou nesta segunda (1), o primeiro teste capaz de identificar essas variantes do vírus.

A fabricante comunicou que esse novo kit de teste, que foi batizado de Allplex SARS-CoV-2 Variants I Assay, pode detectar e diferenciar variações do novo coronavírus, incluindo aquelas consideradas mais contagiosas e fatais.

De acordo com a Reuters, a Seegene espera começar a exportar para mercados globais como a Europa no atual trimestre. A agência de notícias ressalta que as ações da Seegene fecharam em alta de 8,9% após o anúncio, ante alta de 2,7% no mercado mais amplo

Variantes do coronavírus

Novas variantes do coronavírus têm preocupado especialistas (Imagem: Kjpargeter/Freepik)
Novas variantes do coronavírus têm preocupado especialistas (Imagem: Kjpargeter/Freepik)

Variantes do coronavírus já vem surgindo desde o início da pandemia, como a 614G, detectada pela primeira vez no leste da China, ainda em janeiro de 2020, que depois se espalhou rapidamente pela Europa e pela cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos.

No entanto, apenas a partir de dezembro de 2020 que essa situação das variantes tomou maior fervor. Acontece que o secretário de Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, anunciou na ocasião uma nova cepa que seria a responsável pelo aumento de casos da COVID-19 no sul da Inglaterra na época. A variante foi nomeada como VUI - 202012/01. A cepa carrega uma mutação na região do genoma viral que codifica a proteína espicular, da membrana do agente infeccioso.

No Brasil, também encontraram variantes, como em São Paulo, no meio de um sequenciamento genético, no fim do ano de 2020. No início de 2021, o Ministério da Saúde brasileiro notificou outros países sobre outra cepa do vírus da COVID-19 com mutações, denominada de B.1.1.28, descoberta em Manaus.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: