Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.667,78
    +440,32 (+0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.151,38
    -116,95 (-0,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,53
    +0,31 (+0,49%)
     
  • OURO

    1.802,40
    +4,50 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    49.700,92
    +1.384,50 (+2,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    979,60
    -35,32 (-3,48%)
     
  • S&P500

    3.925,43
    +44,06 (+1,14%)
     
  • DOW JONES

    31.961,86
    +424,51 (+1,35%)
     
  • FTSE

    6.658,97
    +33,03 (+0,50%)
     
  • HANG SENG

    29.718,24
    -914,40 (-2,99%)
     
  • NIKKEI

    29.671,70
    -484,33 (-1,61%)
     
  • NASDAQ

    13.320,25
    +18,25 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5801
    -0,0304 (-0,46%)
     

Empresários avaliam que Congresso deve decidir rápido sobre prisão de deputado para não atrasar a economia

JOANA CUNHA
·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 16.06.2020 - O deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ) deixa a Superintendência da Polícia Federal em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 16.06.2020 - O deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ) deixa a Superintendência da Polícia Federal em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Representantes de associações empresariais avaliam o risco de a prisão do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ) atrasar a agenda econômica no Congresso, mas ainda vislumbram uma solução ágil para o caso.

O parlamentar foi preso na terça (16) após publicar vídeos com ataques a ministros do STF.

José Augusto de Castro, presidente da AEB (associação de comércio exterior), diz que o Congresso não deverá ter ânimo para prolongar as discussões sobre o caso, porque elas têm potencial prejudicial.

"Quanto mais tempo se perde com isso, mais se remói algo que não traz nada de bom. E a demora tem uma consequência ruim para o setor empresarial e os investimentos no país", diz Castro.

João Diniz, presidente da Cebrasse (Central Brasileira do Setor de Serviços), estima que o Congresso decidirá em breve e que o resultado pode ajudar a conter o radicalismo."Está sendo dada a resposta institucional devida. O Congresso vai decidir rapidamente e isso passa a servir como norte para os mais radicais, para entenderem até onde podem ir ou não", diz.

Para Fernando Pimentel, presidente da Abit (setor têxtil), mesmo que haja alguns dias de atraso nas discussões das reformas, Congresso e STF vão encontrar uma solução breve, sem afetar a relação dos parlamentares com o governo.