Mercado abrirá em 4 h 41 min
  • BOVESPA

    106.927,79
    +1.397,79 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.744,92
    -185,48 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,37
    +0,55 (+0,66%)
     
  • OURO

    1.819,10
    +2,60 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    42.859,66
    -369,00 (-0,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.030,89
    +5,16 (+0,50%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.542,95
    -20,90 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.166,82
    -216,50 (-0,89%)
     
  • NIKKEI

    28.333,52
    +209,24 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    15.558,25
    -37,50 (-0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3123
    -0,0051 (-0,08%)
     

Empresário desaparecido em queda de avião em Ubatuba é discreto e campeão de jiu-jítsu

·3 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A descrição pessoal do empresário Sérgio Alves Dias Filho, o Serginho, 45 anos, contrasta com o carisma que ele tem entre famosos e anônimos que se mobilizam há uma semana nas redes sociais para incentivar a busca pelas duas vítimas ainda não encontradas de um acidente aéreo que ocorreu na madrugada do último dia 25 entre Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, e Paraty (RJ).

Também campeão brasileiro de jiu-jítsu e obcecado por condicionamento físico, Dias Filho estava no avião que partiu de Campinas, no interior paulista, e voava para o aeroporto de Jacarepaguá, no Rio, quando desapareceu.

As outras duas pessoas que estavam no bimotor eram o copiloto José Porfírio de Brito Júnior, 20, também desaparecido até a tarde desta quinta-feira (2), e o piloto Gustavo Carneiro, 27, cujo corpo foi encontrado no mar no próprio dia 25.

A mulher do empresário, a designer Tatiana Fogaça, usou as redes sociais para pedir para que pessoas com embarcações com sonar ajudem nas buscas. Essa é a única publicação em que cita o nome do marido em seu histórico --há raras postagens sobre os dois e uma do lutador com uma medalha de campeão em 2019, mas sempre sem citar seu nome.

"Gostaríamos de pedir que todos que possuem embarcações com sonar na região e identificarem qualquer diferença na área, entre em contato conosco ou com as autoridades. Pedimos a todos que mantenham uma corrente positiva e que os responsáveis pelas buscas mantenham o empenho em encontrá-lo. Agradecemos também a todos os amigos que tão gentilmente se solidarizaram conosco", escreveu ela, em nome da família.

Um amigo do empresário, que não quiser dar entrevista pois disse estar muito abalado com o acidente, contou que a família é bastante reservada.

Dias Filho é dono de uma empresa de blindagem de veículos, a MF4- Blindados, com sede no Rio de Janeiro. A companhia foi procurada para falar sobre ele, mas não retornou à reportagem.

A empresa é patrocinadora do piloto Rubens Barrichello, atualmente na Stock Car, e costuma aparecer em vídeos promocionais da MF4-Blindados nas redes sociais. Em um deles, faz condicionamento físico com o preparador Chico Salgado. Rubinho replicou a publicação de Tatiana Fogaça.

Nesta quarta-feira (1º) começou uma mobilização no Twitter com a tag "Achem o avião", que ficou entre os principais tópicos.

Também nas redes sociais, a namorada do copiloto, Thalya Viana, pediu ajuda para localizar a aeronave e o namorado. "Estamos sem notícias desde a madrugada", escreveu ela. "Gente, ainda não temos nenhum paradeiro dele. Continuem ajudando a gente", publicou.

Na busca pelo empresário e pelo piloto estão Marinha, Aeronáutica e Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro.

Em nota, a Força Aérea disse que continua na operação de busca e salvamento com a participação de uma aeronave C-130 Hércules. "Um helicóptero H-36 Caracal permanece à disposição, podendo ser acionado em caso de necessidade", afirmou. "Até o momento, uma área de mais de 5.700 km² do litoral foi coberta pela busca aérea".

Também em nota, a Marinha disse que nesta quinta-feira (2) "localizou e recolheu um objeto tipo 'necessaire' com pertences supostamente relacionado aos tripulantes desaparecidos". Procurado, os bombeiros não responderam até a conclusão desta reportagem.

O avião decolou às 20h30 do dia 24 de novembro do aeroporto dos Amarais, em Campinas. Segundo o Corpo de Bombeiros, a queda no mar ocorreu por volta da 1h20.

De acordo com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o avião pertencia a José Porfírio de Brito Junior, que era o copiloto da aeronave. O avião, um modelo PA-34-220T, foi fabricado em 1981 e estava em situação regular.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos