Mercado abrirá em 4 h 8 min
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,32 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,69
    +0,55 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.838,60
    +6,80 (+0,37%)
     
  • BTC-USD

    35.078,58
    -543,11 (-1,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    807,50
    +564,82 (+232,74%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.635,05
    -330,50 (-1,32%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.489,00
    +62,50 (+0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1728
    -0,0172 (-0,28%)
     

Empresária promissora do Vale do Silício é considerada culpada em caso de fraude

·2 min de leitura

Com a promessa de revolucionar os exames de sangue com ferramentas mais rápidas e baratas do que as utilizadas por laboratórios tradicionais, Elizabeth Holmes fundou a startup Theranos em 2003 no Vale do Silício. Na segunda-feira (3), Elizabeth foi considerada culpada de fraude em um tribunal da Califórnia. Segundo o júri, ela enganou investidores. Por outro lado, a executiva foi inocentada de algumas das onze acusações que enfrentava e não houve acordo sobre outras.

Elizabeth foi considerada uma promessa do Vale do Silício quando fundou a empresa de biotecnologia, aos 19 anos. Segundo ela, a Theranos revolucionaria os testes diagnósticos — o projeto atraiu grandes investidores e a tornou bilionária aos 30 anos.

Empresa de biotecnologia foi fundada em 2003 e apresentava um minilaboratório promissor<br> (Imagem: Divulgação/Theranos)
Empresa de biotecnologia foi fundada em 2003 e apresentava um minilaboratório promissor
(Imagem: Divulgação/Theranos)

O empreendimento foi questionado por uma reportagem do jornal Wall Street Journal, que apontou que as máquinas de diagnóstico da Theranos não funcionavam como prometido. Isso significava que Elizabeth poderia ter enganado investidores e pacientes.

Sem autorização, a empresa incluiu logotipos de farmacêuticas como Pfizer e Schering-Plough em informes enviados a investidores. O material elogiava a tecnologia de análise de exames de sangue da Theranos. No julgamento, a acusação usou esses documentos para mostrar que Elizabeth buscava aumentar a credibilidade da Theranos para ganhar apoio financeiro.

Testemunhas de defesa

Na lista de testemunhas de defesa, a Theranos incluiu personalidades como Rupert Murdoch, Henry Kissinger e James Mattis. Apesar disso, só Elizabeth foi convocada e os advogados argumentaram que ela acreditou e trabalhou intensamente na Theranos, mas falhou. A executiva responsabilizou Ramesh “Sunny” Balwani, seu ex-sócio e ex-namorado, que era seu braço direito na Theranos. Balwani deve enfrentar outro julgamento por seu papel na Theranos. Ele nega as acusações.

Ao levar uma personalidade do mundo da tecnologia ao banco dos réus, o caso ganhou repercussão nos EUA: não é comum ver empreendedores fracassados do Vale do Silício enfrentarem acusações de fraude. A ação expõe, ainda, a cultura ambiciosa dos empreendedores. Um dos clichês do segmento é “finja até conseguir” — que reforça a ideia de que é possível convencer investidores com a esperança de que um dia o sucesso virá.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos