Emprego na indústria recua 1,4% em 2012, apura IBGE

O emprego na indústria recuou 1,4% em 2012, informou, nesta sexta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na passagem de novembro para dezembro, na série livre de influências sazonais, o IBGE apurou queda de 0,2%. Na comparação com dezembro de 2011, o emprego industrial apresentou queda de 1,3% em dezembro do ano passado.

O número de horas pagas aos trabalhadores da indústria ficou estável na passagem de novembro para dezembro, após recuar 0,2% na leitura anterior. Em 2012, a queda acumulada foi de 1,9%, revertendo os resultados positivos registrados em 2011 (0,3%) e em 2010 (4,1%).

No ano passado, 14 dos 18 setores pesquisados tiveram taxas negativas, com destaque para vestuário (-9,8%), calçados e couro (-6,5%), têxtil (-4,9%), produtos de metal (-3,0%), madeira (-8,3%), papel e gráfica (-3,7%), meios de transporte (-2,2%), metalurgia básica (-4,7%) e outros produtos da indústria de transformação (-3,3%).

Na comparação com dezembro de 2011, o número de horas pagas caiu 1,2% em dezembro de 2012, a 16ª taxa negativa consecutiva. Entre as regiões, 12 dos 14 locais apresentaram queda, tendo como principal influência para o total nacional o recuo de 3,0% em São Paulo.

O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria teve uma queda de 2,3% na passagem de novembro para dezembro, após avançar 7,9% na leitura anterior. Segundo o IBGE, tanto o setor extrativo (-6,0%) como a indústria de transformação (-2,7%) recuaram em dezembro, puxados pelas expansões mais acentuadas verificadas no mês anterior (de 8,3% e 7,4%, respectivamente), quando houve pagamento da primeira parcela do 13º salário e de participação nos lucros em grandes empresas.

No fechamento de 2012, o valor da folha de pagamento real avançou 4,3%, com taxas positivas em todos os 14 locais investigados. O destaque foi São Paulo, que teve aumento de 2,1% no ano. Entre os setores, a folha de pagamento avançou em 15 das 18 atividades pesquisadas no País, impulsionado por alimentos e bebidas (9,6%), máquinas e equipamentos (6,1%), indústrias extrativas (8,8%), produtos químicos (4,4%), meios de transporte (1,9%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (4,1%), minerais não metálicos (5,6%) e outros produtos da indústria de transformação (6,0%). Na comparação com dezembro de 2011, a folha de pagamento cresceu 8,0% em dezembro de 2012, o 36º resultado positivo consecutivo.

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,2284-0,0013-0,04%
    USDBRL=X
    3,6437-0,0005-0,01%
    EURBRL=X
    0,8857-0,0002-0,02%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    12,53+0,13+1,05%
    PETR4.SA
    3,62+0,01+0,28%
    GOAU4.SA
    3,36-0,07-2,04%
    USIM5.SA
    15,41+0,11+0,72%
    VALE5.SA
    9,13+0,02+0,22%
    GGBR4.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    8,50+1,24+17,08%
    ENMT3.SA
    1.255,00+146,99+13,27%
    ESUD11.SA
    2,80+0,29+11,67%
    TCSA3.SA
    50,00+5,00+11,11%
    GEPA4.SA
    2,41+0,24+11,06%
    MWET4.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    0,70-6,30-90,00%
    CTKA3.SA
    1,91-0,49-20,42%
    CELP5.SA
    3,05-0,37-10,82%
    RAPT3.SA
    1,55-0,17-9,88%
    AZEV4.SA
    1,96-0,19-8,84%
    CTSA4.SA