Empregados da Hyundai param, 4 dias após inauguração

Quatro dias depois da inauguração oficial da fábrica da Hyundai, em Piracicaba (SP), funcionários do setor de produção de veículos da montadora de origem coreana entraram em greve nesta terça-feira, após rejeitarem a proposta salarial da companhia. A Hyundai tem 1.200 operários na produção do compacto HB20. Metade está no turno da manhã e paralisou as atividades, mas outros 400 empregados do setor administrativo, apesar de rejeitarem a proposta, seguem trabalhando.

O restante dos trabalhadores do setor produtivo fará uma assembleia no final da tarde e também deve recusar a oferta. Os trabalhadores pedem um reajuste de 39,86% no piso salarial, de R$ 1.287 para R$ 1.800. A companhia oferece um piso de R$ 1.600. Além disso, os empregados pedem 8% de aumento para os outros salários, revisão nos benefícios, da jornada de trabalho semanal de 40 horas e ainda a participação nos lucros e resultados.

Ainda nesta terça-feira, uma reunião no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Campinas (SP), com representantes da empresa e dos trabalhadores, tenta elaborar uma nova proposta salarial. Segundo a companhia, a proposta só será apresentada em uma nova assembleia do primeiro turno da empresa, na madrugada da quarta.

Mesmo com a inauguração oficial na última sexta-feira (9), a fábrica da Hyundai produz o HB20 desde setembro do ano passado e a data-base dos trabalhadores é em novembro. Conforme a montadora, 34 unidades do veículo são produzidas por hora. Mesmo com a greve, está mantida a previsão da Hyundai de fabricar 26 mil HB20 ainda este ano.

Carregando...