Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,77
    -0,38 (-0,46%)
     
  • OURO

    1.667,30
    -2,70 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    19.558,29
    +497,27 (+2,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    447,10
    +18,32 (+4,27%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.560,00
    +4,25 (+0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2279
    +0,0680 (+1,32%)
     

Empregadas domésticas foram demitidas em massa no Brasil na pandemia

·1 min de leitura
Trabalhadoras domésticas foram demitidas em massa na pandemia, no Brasil. (Foto: Getty Images)
Trabalhadoras domésticas foram demitidas em massa na pandemia, no Brasil. (Foto: Getty Images)
  • Segundo a OIT, no início da pandemia, foram demitidas 26,6% das trabalhadoras domésticas brasileiras.

  • Piora a situação o fato de que muitas delas trabalham de forma informal, sem proteções trabalhistas.

  • Ainda de acordo com a OIT, o número de horas trabalhadas por essas profissionais caiu 43% nesse mesmo período, e a perda salarial foi em média de 34%.

A pandemia do novo coronavírus deixou quase nenhum setor da economia intocado, provocando encolhimentos e demissões. Mas um setor foi especialmente afetado no Brasil: o de trabalhadoras domésticas.

Leia também:

Um estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT) repercutido pelo jornal Valor Econômico nesta semana mostra a realidade dessa categoria, em um cenário de crise causado pela pandemia da Covid-19.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Segundo a OIT, o Brasil é hoje o segundo país com maior número de empregadas domésticas, com 6.276.316 profissionais em 2019, atrás apenas da China, que possui 22.012.023 trabalhadoras.

Mas, entre o final de 2019 e o segundo trimestre de 2020, momento da chegada da pandemia ao Brasil, segundo a OIT, foram demitidas 26,6% desse total de trabalhadoras domésticas brasileiras. Piora a situação o fato de que muitas delas trabalham de forma informal, sem proteções trabalhistas.

Ainda de acordo com a OIT, o número de horas trabalhadas por essas profissionais caiu 43% nesse mesmo período, e a perda salarial foi em média de 34%.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube