Mercado fechará em 4 h 49 min
  • BOVESPA

    107.006,73
    -1.707,82 (-1,57%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.926,91
    +93,11 (+0,18%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,61
    -0,15 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.790,30
    -16,50 (-0,91%)
     
  • BTC-USD

    62.011,90
    -1.182,99 (-1,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.487,17
    -17,98 (-1,19%)
     
  • S&P500

    4.590,25
    +23,77 (+0,52%)
     
  • DOW JONES

    35.828,11
    +86,96 (+0,24%)
     
  • FTSE

    7.273,81
    +50,99 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    26.038,27
    -93,76 (-0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.106,01
    +505,60 (+1,77%)
     
  • NASDAQ

    15.654,25
    +158,50 (+1,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4673
    +0,0310 (+0,48%)
     

Empreendedoras brasileiras foram as mais afetadas pela pandemia no mundo

·1 minuto de leitura
Businesswoman with face mask working at her desk looking at computer monitor, in office. Female professional back to work after covid-19 pandemic lockdown.
Businesswoman with face mask working at her desk looking at computer monitor, in office. Female professional back to work after covid-19 pandemic lockdown.
  • Empreendedoras foram mais afetadas pela pandemia

  • Estudo mostra que para 66% delas obstáculos para mulheres no setor de negócios aumentaram

  • Cerca de 66% das empresárias viram as receitas caírem no período

No setor de negócios, a crise provocada pela pandemia da covid-19 impactou mais as empresárias brasileiras, na comparação global, segundo um estudo feito pelo banco Goldman Sachs. Cerca de 66% das donas de empresas ouvidas na pesquisa disseram que os obstáculos para as mulheres na área aumentaram no período. As informações são da Época Negócios.

Leia também:

Enquanto isso, 90% das empreendedoras disseram que convivem com uma sensação de impotência, já que os impactos à empresa estão fora de seu controle. 

Motivos

Com apenas 11,17% da população vacinada no país e com os números de casos e mortes subindo, os negócios femininos continuam sendo afetados. Isso só fez aumentar os entraves já encontrados anteriormente, como queda nas vendas ou perda de contratos futuros (55%).

Os problemas com saúde física e mental das gestoras e dos funcionários piorou 9%, enquanto o equilíbrio entre casa e trabalho ficou 9% mais difícil. 

Em relação a fatores decorrentes da pandemia, 66% das empresárias viram as receitas caírem e 53% precisaram demitir.

Outro fator destacado pela pesquisa é de que 53% das mulheres donas de negócios precisaram cuidar de casos familiares, o que gerou impacto na gestão das empresas para 25% das empreendedoras.

Por último, o levantamento mostra que 76% das empreendedoras precisaram correr para usar ferramentas digitais de venda e exposição de produtos. Segundo 58%, essa mudança veio para ficar. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos