Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    62.362,70
    +670,92 (+1,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Empréstimos crescem 6% em fevereiro, diz Banco Central

LARISSA GARCIA
·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.02.2019: Cédulas de real, moeda oficial brasileira. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.02.2019: Cédulas de real, moeda oficial brasileira. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os bancos emprestaram R$ 313,9 bilhões em fevereiro, volume 6% maior que no mês anterior. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (29) pelo BC (Banco Central).

Para as famílias houve crescimento de 6,5% e para as empresas, de 4,7% no período.

As variações são registradas com ajuste sazonal, que retira peculiaridades do período, como número de dias úteis a mais ou a menos, para facilitar a comparação.

No acumulado dos 12 meses, os empréstimos cresceram 3,1%.

O saldo de crédito, que contabiliza toda a carteira do sistema financeiro, permaneceu superior a R$ 4 trilhões em fevereiro, com crescimento de 0,7% no mês. Em 12 meses, houve elevação de 22,9%.

Segundo o BC, a alta no mês foi puxada por crédito pessoal e no acumulado dos 12 meses, por aquisição de veículos e composição de dívidas --quando o cliente negocia e transforma várias dívidas em uma só.

Para as empresas, houve crescimento no mês em modalidades ligadas ao consumo, como desconto de duplicatas e recebíveis, antecipação de faturas de cartão, aquisição de veículos.

Já nos 12 meses, a alta foi puxada principalmente por linhas para capital de giro.

Em fevereiro, a taxa média de juros dos empréstimos caiu 0,3 ponto percentual, para 19,8% ao ano. Em 12 meses, a queda foi de 3,2 pontos.

O spread, diferença entre a taxa de captação dos bancos e o que eles cobram em empréstimos, ficou em 15,6 pontos percentuais, redução de 0,2 ponto no mês e 2,9 pontos em 12 meses.

A inadimplência alcançou 2,3%, crescimento de 0,2 ponto em relação ao mês anterior.

Nas operações com recursos livres, os calotes ficaram estáveis em 2,9%. Nas operações com recursos direcionados (com subsídio do governo), o indicador subiu 0,2 ponto e ficou em 1,3%.