Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,38 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,17 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    -0,18 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.788,10
    -23,10 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    17.069,46
    +344,66 (+2,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,90 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,23 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,40 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.257,50
    +105,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

Empréstimos baratos são chave para estímulo, diz membro do BCE

Piotr Skolimowski e Ott Ummelas
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Banco Central Europeu deveria colocar empréstimos ultrabaratos no centro de seu próximo pacote de estímulo sendo preparado para dezembro, disse Madis Muller, membro do conselho do BCE.

Em entrevista de Tallinn, o presidente do banco central da Estônia enfatizou a necessidade da renovação do chamado TLTRO, em vez da compra adicional de títulos por meio do programa de compras de emergência na pandemia (PEPP, na sigla em inglês). Segundo ele, a situação é diferente do cenário em março, quando o BCE tentava amenizar a turbulência dos mercados.

“Talvez o PEPP por si só não seja a melhor ferramenta para fornecer mais suporte e devemos pelo menos pensar em uma combinação de medidas diferentes”, disse Muller. “É melhor encontrarmos medidas que abordem mais diretamente as condições de financiamento para o setor privado em particular. Nesse sentido, falando em TLTROs, seria uma ferramenta possível que deveria estar na mesa.”

A presidente do BCE, Christine Lagarde, disse na quarta-feira que a instituição se concentrará nas compras de títulos de emergência de 1,35 trilhão de euros (US$ 1,6 trilhão) e TLTROs - operações de empréstimo de longo prazo direcionadas - para a próxima onda de estímulo que visa aliviar o impacto da pandemia de coronavírus. Essa foi a indicação mais forte sobre o tipo de ferramentas a serem adotadas quando o BCE ajustar a política monetária em dezembro.

O BCE flexibilizou os termos do programa de empréstimos desde o início da crise. Os bancos agora podem obter empréstimos de três anos com juros muito baixos, de até 1% negativo - o que significa que o banco central paga para emprestar -, desde que emprestem o dinheiro para empresas e famílias.

As instituições financeiras acessaram 174,5 bilhões de euros em empréstimos em setembro, e um recorde de 1,3 trilhão de euros na rodada anterior em junho. Atualmente, apenas mais duas operações estão programadas, em dezembro e março.

Cenário para 2023

Muller não quis indicar o possível tamanho do próximo estímulo, dizendo que dependerá das novas projeções econômicas, incluindo a primeira previsão para 2023.

“É muito cedo para dizer quão grande deve ser o pacote”, disse. “Se não houver tensões nos mercados financeiros, haverá menos necessidade de maior afrouxamento da política.”

O BCE gastou até o momento cerca da metade da quantia destinada ao programa de compras de títulos de emergência, que deve ser executado até meados do próximo ano.

O debate sobre o estímulo se intensifica em meio à deterioração das perspectivas econômicas da zona do euro nas últimas semanas. Casos recordes de coronavírus em toda a região levaram governos a impor novamente algumas restrições. Com isso, a recuperação mais forte do que o esperado no verão pode evaporar em uma recessão dupla.

O BCE se comprometeu a manter o estímulo até o fim da crise. Muller avalia que, até que haja clareza nesse aspecto, as ferramentas de emergência da instituição, em vez de seu antigo programa de compra de ativos, são a medida certa a ser usada no momento.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.